WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

A fé que vacila e a fé que se entrega

48 Views
FacebookTwitterEmailLineKakaoSMS

Há numerosas pessoas no mundo que dizem crer em Deus. Mesmo assim, só os que obedecem totalmente à palavra de Deus podem dizer que creem realmente em Deus. Com frequência vemos as pessoas que dizem crer em Deus, mas o negam com seus atos. Eles insistem em ter sua própria maneira, dizendo: “Mesmo que Deus diz assim, acho que é melhor fazê-lo deste modo”.

“Creio em Deus, mas desta vez farei à minha maneira, e a partir da próxima vez obedecerei à vontade de Deus, se é que me agrada.” Esta não é a fé devota de quem se entrega completamente à vontade de Deus, mas a fé vacilante que adia entregar-se à vontade de Deus. O que agrada a Deus é a fé devota que se entrega, e não a fé que vacila.

Já que Deus nos comprou com o seu precioso sangue, derramado na cruz, nós somos os pertences de Deus. Se somos pertences de Deus, devemos entregar-nos totalmente a Deus. Se alguém diz que faz a vontade de Deus, mas o nega com suas obras, esse é o que tem uma fé vacilante, que não se entrega totalmente a Deus. Se alguém entrega por completo seu coração a Deus, esse é o que tem uma fé devota que se entrega. Agora através dos ensinamentos da Bíblia vamos pensar em que tipo de fé devemos ter.

Levem frutos por meio da obediência

Isto é o que aconteceu uma vez com uma equipe de beisebol profissional. Um corredor estava na base, e o treinador deu ao rebatedor o sinal de fazer um bunt num momento muito crucial em que a equipe poderia ganhar ou perder o jogo por um ponto. Todavia, no lugar do bunt, o rebatedor bateu a bola e conseguiu um home run porque a bola foi arremessada para o rebatedor bater facilmente. A equipe ganhou o jogo e a audiência deu os aplausos e ovações ao jogador. Não obstante, o treinador ficou sério e pesado. Aquela noite, o treinador contou ao seu amigo como se sentia.

“Não estou feliz. O que eu queria era uma vitória obtida mediante a união de todos os jogadores da nossa equipe, e não uma vitória obtida pela habilidade ou pelo talento pessoal de um jogador. Hoje dei algumas instruções táticas a um jogador, mas ele não as tomou em conta e fez à sua própria maneira. Isto não pode ser uma verdadeira vitória. Como treinador, eu sinto que tudo isso é minha culpa. É por isso que a vitória de hoje não é uma vitória, mas uma derrota.”

O que Deus espera de cada um de nós é a mesma coisa. De verdade, Ele deseja que obedeçamos a sua vontade entregando nossas almas completamente a Ele, em vez de fazermos coisas à nossa própria maneira.

『No tocante a Deus, professam conhecê-lo; entretanto, o negam por suas obras; é por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados para toda boa obra.』 Tt. 1:16 

Existem os que desobedecem à vontade de Deus, se ela for contra o seu próprio pensamento e opinião. Eles são os tontos que cometem algo detestável e desobediente, deixando todas as obras boas e agradáveis. Com o nosso próprio pensamento, parece que podemos dar mais frutos se fazemos à nossa própria maneira em vez de seguir a palavra de Deus. De jeito nenhum! Se tivéssemos uma tendência para só ganhar frutos descuidando a obediência, poderíamos cair na própria justiça e no néscio pensamento de que as coisas que fazemos ao nosso próprio modo darão melhores resultados do que as coisas que Deus nos tem dito que façamos à sua maneira.

Vamos supor que alguns não ganharam frutos apesar de obedecerem completamente a palavra de Deus, e outros são desobedientes à palavra de Deus, mas ganharam muitos frutos. A quem Deus, que faz frutíferas todas as coisas, dará bom fruto? No final, a pessoa obediente é quem ganhará em abundância os frutos verdadeiros.

A linda obediência de Cristo

Deus poderia fazer tudo sozinho, mas deu uma missão a cada um de nós. A razão disso é porque Ele quer saber se nos entregamos completamente à vontade de Deus com fé obediente. Vamos ver o exemplo de Cristo, que seguiu a vontade de Deus sendo obediente até à morte.

『Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira … para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai. Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor.』 Fp. 2:5-12 

Mesmo Cristo subsistindo em forma de Deus, se submeteu à vontade de Deus, tornando-se obediente até à morte, quando por um momento estava vestido de carne. Por isso, Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu um nome que é acima de todo nome. Através do exemplo de fé e de obediência de Jesus, Deus nos tem mostrado qual tipo de glória receberemos quando lhe obedecermos.

『Embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, tendo sido nomeado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.』 Hb. 5:8-10 

A obediência leva-nos à fé perfeita. No entanto, néscios são os que deixam de obedecer à vontade de Deus confiando em suas próprias habilidades. Deus administra toda história que ultrapassa os pensamentos e âmbitos humanos. Além do mais, Ele me conhece melhor que eu mesmo, e sonda o meu coração. A loucura de Deus é mais sábia do que a sabedoria dos homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que a força dos homens (1Co. 1:25). Como poderíamos comparar Deus com os homens?

A Bíblia nos diz que desenvolvamos a nossa salvação com temor e tremor, obedecendo sempre à vontade de Deus. Embora o que fazemos agora pareça débil e insensato para os homens, se entregarmos todas as coisas a Deus, finalmente isto nos guiará a todas as bênçãos e ao eterno tesouro celestial. Para nos ensinar esta verdade, Jesus, que é o próprio Deus, veio a esta terra tomando a forma de homem como um de nós, e nos mostrou um exemplo de que tipo de fé devemos ter ao nos aproximarmos de Deus. Ele mostrou o exemplo perfeito da obediência mesmo no sofrimento, pelo qual foi feito perfeito e veio a ser o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem.

Os 144 mil que seguem o Cordeiro por onde quer que vá

Segundo o exemplo de Cristo, se alguém conseguir ter uma fé que se entrega por completo à palavra de Deus, todas as situações se tornarão graciosas e agradáveis.

Há algum tempo, durante o período de pregação de Jerusalém, recebi uma chamada telefônica de uma igreja que guiou 70 almas a Deus apenas em três dias. O segredo do sucesso foi que todos os seus membros pregaram a Mãe Jerusalém, como o Pai havia dito.

Deus disse que se proclamarmos a glória de Jerusalém ao mundo inteiro, nossos irmãos e irmãs perdidos voltarão como nuvens e como pombas. Apesar disso, alguns pensavam, pelo seu estreito ponto de vista, que se pregassem a glória de Jerusalém, as pessoas não entenderiam. Este tipo de pensamento faz demorar o cumprimento da profecia.

Se a palavra de Deus já ressoou, devemos atuar de imediato, assim como os soldados respondem ao chamado de trombeta. No livro de Apocalipse, está escrito que quando Deus monta um cavalo branco e vence seus inimigos, o exército do céu o segue, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro (Ap. 19:11-16). O exército do céu se refere aos santos.

Suponhamos que a trombeta já soou no exército, mas os soldados não lhe dão importância e fazem o que lhes agrada. O que acontecerá com eles? Se um soldado continuar a dormir ao toque de alvorada, ou se vaguear pelo quartel quando a trombeta soar para avisar a hora de dormir, não escapará do castigo. Da mesma maneira, se alguém não responde à trombeta da profecia, é uma prova de que tem uma fé vacilante no lugar de uma fé que se entrega, demorando em obedecer à vontade de Deus em vez de entregar completamente sua mente a Deus.

Deus está esperando que nossa obediência seja perfeita (2Co. 10:6). A maior fé se baseia na obediência. Quem obedece à palavra de Deus pode entregar sua mente completamente a Deus, e quem pode entregar-se totalmente a Deus pode ser testemunha de um grande milagre. Deus faz com que todas as criaturas dobrem seus joelhos diante dos que lhe obedecem. Será que não vale a pena seguir a Deus por onde quer que vá?

『Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil … Entoavam novo cântico diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos. E ninguém pôde aprender o cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra … São eles os seguidores do Cordeiro por onde quer que vá. São os que foram redimidos dentre os homens, primícias para Deus e para o Cordeiro; e não se achou mentira na sua boca; não têm mácula.』 Ap. 14:1-5 

A característica mais saliente dos 144 mil é que eles seguem o Cordeiro por onde quer que vá. Em outras palavras, eles são os que caminham de acordo com a vontade e o pensamento de Deus. Os insensatos que demoram em obedecer à vontade de Deus ou rejeitam seguir a vontade dele não podem participar da mesma fé cheia de graça dos 144 mil.

Eles seguem o Cordeiro por onde quer que vá. Isto mostra que não lhes importa a que lugar são guiados, e tampouco se é um lugar favorável ou desfavorável. Eles estão dispostos a caminhar por qualquer caminho, seja plano ou acidentado, enlameado ou seco. O caminho poderia ocasionar-nos sofrimentos físicos ou mentais. Entretanto, se entendemos o amor de Deus que veio a esta terra de pecados, tendo sofrido todo tipo de insultos e burlas para salvar nossas almas, estaremos dispostos a entregar-nos completamente a Deus.

A obediência não é a submissão cega, e sim, a obediência que pode ser praticada somente pelos que têm entregado suas almas 100% a Deus, compreendendo corretamente sua vontade. Com um correto entendimento sobre o Espírito e a Noiva, devemos entregar-lhes nossas almas totalmente, e estar dispostos a segui-los por onde quer que nos guiem. Deus seleciona os que o seguem por onde quer que vá, e os salva.

Abraão e a fé que se entrega

Todos os antepassados da fé na Bíblia estavam dispostos a obedecer à vontade de Deus. Dentre eles, Abraão mostrou a obediência mais perfeita, a qual é difícil de ser praticada pelos homens.

『Depois dessas coisas, pôs Deus Abraão à prova e lhe disse: … Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei. Levantou-se, pois, Abraão de madrugada e, tendo preparado o seu jumento, tomou consigo dois dos seus servos e a Isaque, seu filho; rachou lenha para o holocausto e foi para o lugar que Deus lhe havia indicado … amarrou Isaque, seu filho, e o deitou no altar, em cima da lenha; e, estendendo a mão, tomou o cutelo para imolar o filho. Mas do céu lhe bradou o Anjo do SENHOR: Abraão! Abraão! … Então, lhe disse: Não estendas a mão sobre o rapaz e nada lhe faças; pois agora sei que temes a Deus, porquanto não me negaste o filho, o teu único filho. Tendo Abraão erguido os olhos, viu atrás de si um carneiro preso pelos chifres entre os arbustos; tomou Abraão o carneiro e o ofereceu em holocausto, em lugar de seu filho.』 Gn. 22:1-13 

A obediência de Abraão foi posta à prova. A prova consistia em oferecer em holocausto seu único e amado filho Isaque, que havia tido aos cem anos de idade. Nesta situação, a maioria das pessoas rogaria a Deus seriamente, dizendo com lágrimas: “Se você não me tivesse dado um filho, não estaria sofrendo assim. Sendo pai dele, como posso fazer ao meu filho esta coisa terrível? Se você retirar seu mandamento somente desta vez, farei tudo o que me pedir.” Isto provém de uma fé vacilante. Quem demora em fazer a vontade de Deus, sendo uma pessoa detestável e desobediente, não poderá escapar da destruição.

Quando Abraão recebeu a ordem de sacrificar seu único filho, se levantou de manhã cedo e fez como Deus lhe tinha dito, obedecendo sem vacilação. Abraão o fez assim porque acreditava absolutamente que Deus daria os resultados cheios de graça àquele que obedece à sua vontade. Por isso, tomou lenha para o holocausto e pôs seu filho Isaque sobre ela. E, quando estava a ponto de oferecer em holocausto seu filho no monte Moriá, Deus lhe deu a sua voz: “Abraão, Abraão, porquanto não me negaste o filho, o teu único filho Isaque, como eu poderia poupar algo para ti?”

Deus recompensou com as bênçãos a sua obediência. Já que Abraão teve esta grande fé a ponto de entregar tudo a Deus, Deus o chamou de “o pai da fé”, e o abençoou em tudo o que fez.

Abraão foi enormemente abençoado como resultado de sua obediência. Quando Deus o chamou e lhe disse que deixasse seu lar, não pensou em suas próprias circunstâncias, e sim foi, mesmo não sabendo aonde se dirigia. Ele não duvidou em nenhum momento ao ser chamado por Deus. Porque foi Deus quem lhe falou, Abraão simplesmente obedeceu. A razão disso foi porque Deus o tinha chamado.

Os santos de Deus devem ter o mesmo tipo de fé como Abraão. Diante da vontade de Deus, enquanto vacilamos e pensamos uma vez, duas vezes e mais, a bênção de Deus já some.

Saul e a fé que vacila

Obedecer mesmo tendo uma deficiência em suas habilidades é melhor do que desobedecer fazendo bem as coisas. Lúcifer, o filho da alva, tentou tomar o trono de Deus no céu porque estava cheio de sabedoria e formosura. Aquele que faz as coisas dependendo do seu próprio pensamento, por acaso, ainda que consiga alguma obra com sucesso, não poderá obter resultados agradáveis a Deus.

Talvez as pessoas possam pensar que Deus se alegrará se conseguirem muitas coisas e as oferecerem a Deus, mesmo não lhe obedecendo. Esse pensamento era o de Saul. Entretanto, a Bíblia diz que Deus se alegra mais com a obediência do que com milhares de carneiros.

『Prosseguiu Samuel: Porventura, sendo tu pequeno aos teus olhos, não foste por cabeça das tribos de Israel … Enviou-te o SENHOR a este caminho e disse: Vai, e destrói totalmente estes pecadores, os amalequitas, e peleja contra eles, até exterminá-los. Por que, pois, não atentaste à voz do SENHOR, mas te lançaste ao despojo e fizeste o que era mal aos olhos do SENHOR? Então, disse Saul a Samuel: Pelo contrário, dei ouvidos à voz do SENHOR e segui o caminho pelo qual o SENHOR me enviou; e trouxe a Agague, rei de Amaleque, e os amalequitas, os destruí totalmente; mas o povo tomou do despojo ovelhas e bois, o melhor do designado à destruição para oferecer ao SENHOR, teu Deus, em Gilgal. Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.』 1Sm. 15:17-23 

Saul se humilhava considerando-se pequeno e escutava a palavra de Deus antes de ser o rei. Mas, depois de subir ao trono, pelo seu poder ele se ensoberbeceu sem perceber e passou a ignorar até a palavra de Deus. Por isso, quando Deus lhe disse que exterminasse completamente os amalequitas, incluindo seu gado, ele, tendo seu próprio pensamento, não quis destruir as coisas úteis, e reservou os bons animais, matando somente os defeituosos.

Saul, não obedecendo completamente à palavra de Deus, deu muitas desculpas para a sua desobediência, deixando cair a culpa sobre o povo e dizendo que tomou os melhores dos animais para oferecê-los a Deus. Ele tinha a fé vacilante, e tentava medir a vontade de Deus com a sua própria vontade. Abraão poderia ter dado mais desculpas do que Saul. Assim poderia tentar constantemente persuadir a Deus, dizendo que seu filho estava imundo ou tinha um resfriado, e que ele ainda não era idôneo para um holocausto. No entanto, Abraão mostrou sua fé através da obediência, entregando tudo a Deus.

Finalmente, o Espírito de Deus deixou Saul. Depois de perder tudo como resultado da sua desobediência, Saul rogou ser perdoado, mas era tarde demais. Deus não queria um rei tão desobediente, ainda que tivesse muitos talentos e grandes habilidades para governar um país. A partir do momento quando uma pessoa começa a desobedecer, já não precisa mais de Deus. Por esta razão, Deus o deixou.

As crianças sempre precisam de suas mães. Da mesma maneira, nossas almas sempre devem anelar a Deus e precisar dele, entregando tudo a Ele. Por isso, a Bíblia diz: “O obedecer é melhor do que o sacrificar”.

Tudo o que foi escrito no passado é para o nosso ensino. Ao revisar a história da fé, devemos renovar nossos corações e mentes para ter uma fé verdadeira. Meus amados irmãos e irmãs de Sião, obedeçamos à santa vontade de Deus com a fé que se entrega e não com a fé vacilante, para que possamos reter até o fim a coroa da vida a ser dada por Deus.

FacebookTwitterEmailLineKakaoSMS