WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Na Bíblia diz: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento”. Há alguma maneira em especial de pôr isto em prática?

97 Visualizações

Os fariseus provaram Jesus com esta pergunta: “Qual é o grande mandamento na Lei?”. Jesus respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento”. E em seguida disse: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. E então Jesus disse que destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas (Mt. 22:35-40). Através disto, Jesus quis dizer que o núcleo mais importante da lei estabelecida por Deus é o amor, e o objetivo final de Deus estabelecer as leis do Antigo Testamento e do Novo Testamento, e nos ordenar guardá-las também é o amor.

Não podemos guardar o primeiro mandamento que Jesus nos ensinou apenas pensando vagamente que amamos a Deus. Se não conseguirmos entender a profunda verdade de Deus, sem nos dar conta, chegaremos a servir outros deuses mesmo que digamos com nossa boca que amamos a Deus e cremos nele. Na verdade, muitas pessoas fazem isso. Então, o que nos faz cumprir o primeiro mandamento que Jesus nos deu? Indo direto ao ponto, através da Páscoa da Nova Aliança.

A Páscoa nos permite amar a Deus perfeitamente

Podemos ver na Bíblia uma pessoa que foi reconhecida por Deus como aquele que o amou de todo o seu coração, alma e entendimento.

“Antes dele (Josias), não houve rei que lhe fosse semelhante, que se convertesse ao SENHOR de todo o seu coração, e de toda a sua alma, e de todas as suas forças, segundo toda a Lei de Moisés; e, depois dele, nunca se levantou outro igual.” 2Rs. 23:25

O fato de que Josias se converteu a Deus, segundo toda a lei, de todo o seu coração, alma e forças, significa que ele guardou o mandamento: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento”, que é o primeiro mandamento do qual depende toda a lei e os profetas. A razão pela qual Josias foi grandemente elogiado ao guardar o primeiro mandamento e toda a lei de Deus foi porque guardou a Páscoa.

“Deu ordem o rei a todo o povo, dizendo: Celebrai a Páscoa ao SENHOR, vosso Deus, como está escrito neste Livro da Aliança. Porque nunca se celebrou tal Páscoa como esta desde os dias dos juízes que julgaram Israel, nem durante os dias dos reis de Israel, nem nos dias dos reis de Judá. Corria o ano décimo oitavo do rei Josias, quando esta Páscoa se celebrou ao SENHOR, em Jerusalém.” ​2Rs. 23:21-23

Em toda a história de Israel, ninguém guardou a Páscoa cuidadosamente como Josias. Por guardar a Páscoa, Josias recebeu um grande elogio de Deus de que não houve outro rei antes dele, que se convertesse a Deus de todo o seu coração e de toda a sua alma, segundo toda a lei de Moisés; e, depois dele, nunca se levantou outro igual. Isto quer dizer que ele guardou o primeiro e grande mandamento que foi dito por Jesus. Também isto significa que ao guardar a Páscoa podemos receber o testemunho de Deus de que guardamos completamente o primeiro mandamento de Deus, igual a Josias.

Desde o tempo em que Deus proclamou a lei pela primeira vez, deixou claro que a Páscoa e o primeiro mandamento têm uma relação inseparável.

“Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.” ​Dt. 6:4-8

Deus pediu ao seu povo que atasse na mão e que fosse ser por frontal entre os olhos como um sinal, o primeiro mandamento: “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força”. Isto também se aplica, da mesma forma, à Páscoa.

“Naquele mesmo dia, contarás a teu filho, dizendo: É isto (Páscoa) pelo que o SENHOR me fez, quando saí do Egito. E será como sinal na tua mão e por memorial entre teus olhos; para que a lei do SENHOR esteja na tua boca; pois com mão forte o SENHOR te tirou do Egito.” Êx. 13:8-9

O dia em que os israelitas saíram do Egito, a terra da escravidão, foi o dia da Páscoa. Nesse dia, Deus destruiu todos os primogênitos dos egípcios e salvou os primogênitos dos israelitas. Deus disse que fizessem da Páscoa, a comemoração da obra da salvação de Deus, como sinal nas mãos e como memorial entre os seus olhos, igual às palavras de Deuteronômio 6; finalmente isto quer dizer que o primeiro mandamento: “Amarás a Deus de todo coração”, é a Páscoa.

“Disse Moisés ao povo: Lembrai-vos deste mesmo dia, em que saístes do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o SENHOR vos tirou de lá; portanto, não comereis pão levedado. Hoje, mês de abibe, estais saindo.” ​Êx. 13:3-4

“Então, falou Deus todas estas palavras: Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim.” Êx. 20:1-3

Deus proferiu as mesmas palavras no início dos textos relacionados à Páscoa e ao primeiro mandamento. E quando explicou a razão pela qual devemos guardar o primeiro mandamento, mencionando a Páscoa, ele disse a mesma coisa, querendo dizer: “Por acaso não sou eu, o Salvador que os tirei do Egito, quando estavam sob a escravidão? Por isso não sirvam outros deuses, mas somente a mim, recordando e celebrando a Páscoa, através da qual eu os redimi”. A Páscoa é o primeiro mandamento.

A Páscoa destrói os outros deuses

Podemos cumprir o primeiro mandamento ao guardar a Páscoa, porque Deus destrói os outros deuses no dia da Páscoa.

“[…] é a Páscoa do Senhor. Porque, naquela noite, passarei pela terra do Egito e ferirei na terra do Egito todos os primogênitos, desde os homens até aos animais; executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o SENHOR.” ​Êx. 12:11-12

Deus estabeleceu a Páscoa como o dia do juízo de todos os deuses da terra. Por isso, quando guardamos a Páscoa, no dia em que todos os deuses, exceto o verdadeiro Deus, são destruídos, poderemos eliminar completamente todos os outros deuses e adorar unicamente a Deus e amá-lo com todo o nosso coração. Isto é, poderemos guardar perfeitamente o primeiro mandamento.

“Então, deu ordem o rei, e todos os anciãos de Judá e de Jerusalém se ajuntaram a ele. O rei subiu à Casa do SENHOR, e com ele todos os homens de Judá, todos os moradores de Jerusalém, os sacerdotes, os profetas e todo o povo, desde o menor até ao maior; e leu diante deles todas as palavras do Livro da Aliança que fora encontrado na Casa do SENHOR. O rei se pôs em pé junto à coluna e fez aliança ante o SENHOR, para o seguirem, guardarem os seus mandamentos, os seus testemunhos e os seus estatutos, de todo o coração e de toda a alma, cumprindo as palavras desta aliança, que estavam escritas naquele livro; e todo o povo anuiu a esta aliança. Então, o rei ordenou ao sumo sacerdote Hilquias, e aos sacerdotes da segunda ordem, e aos guardas da porta que tirassem do templo do SENHOR todos os utensílios que se tinham feito para Baal, e para o poste-ídolo, e para todo o exército dos céus, e os queimou fora de Jerusalém, nos campos de Cedrom, e levou as cinzas deles para Betel.” ​2Rs. 23:1-4

“Deu ordem o rei a todo o povo, dizendo: Celebrai a Páscoa ao SENHOR, vosso Deus, como está escrito neste Livro da Aliança. Porque nunca se celebrou tal Páscoa como esta desde os dias dos juízes que julgaram Israel, nem durante os dias dos reis de Israel, nem nos dias dos reis de Judá. Corria o ano décimo oitavo do rei Josias, quando esta Páscoa se celebrou ao SENHOR, em Jerusalém. Aboliu também Josias os médiuns, os feiticeiros, os ídolos do lar, os ídolos e todas as abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, para cumprir as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na Casa do SENHOR.” ​2Rs. 23:21-24

Foi no ano dezoito do rei Josias que ele guardou a Páscoa. Apesar de crer em Deus e acreditar que vivia de acordo com a vontade de Deus, inconscientemente adorava a outros deuses. Apenas depois de compreender a verdade da Páscoa, seus olhos espirituais se abriram e eliminou todos os ídolos.

O mesmo aconteceu nos tempos do rei Ezequias. Ezequias, rei de Judá, guardou a Páscoa junto ao seu povo apesar de não a ter guardado por muito tempo, e a partir daquele momento os que guardaram a Páscoa quebraram todos os ídolos abomináveis que tinham (2Cr. 30:1, 2Cr. 31:1). Certamente a Páscoa é a verdade que nos permite adorar e amar apenas a Deus com todo o nosso coração, destruindo os outros deuses.

A Páscoa da Nova Aliança

Através da lei e da história de Israel, Deus nos ensinou que podemos guardar o primeiro mandamento: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração”, apenas ao guardar a Páscoa. Contudo, através da Páscoa do Antigo Testamento que era guardada mediante o derramamento do sangue de cordeiros, não podemos guardar o grande e primeiro mandamento que Jesus nos ensinou. A razão é que, mediante o sacrifício de animais não podemos entender completamente o amor de Deus, não podemos amar a Deus com todo o nosso coração.

A Páscoa do Antigo Testamento é uma figura e sombra que nos ensina de antemão a Páscoa da Nova Aliança, que seria estabelecida na época do Novo Testamento (Hb. 10:1, Cl. 2:17). Para nos fazer saber quão incrível é a verdade da Páscoa da Nova Aliança que seria estabelecida mediante Cristo, Deus nos deu a história do Antigo Testamento como uma sombra.

Jesus que é a realidade do cordeiro da Páscoa, é Deus, o Altíssimo de todo o universo. Deus veio a esta terra para salvar do pecado e da morte os pecadores sentenciados a morte. Ele foi ridicularizado, zombado e desprezado pelos malvados. Foi açoitado e traspassado pela coroa de espinhos, e sofreu severas dores derramando sangue na cruz. A verdade através da qual podemos compreender o amor e o sacrifício de Deus, é a Páscoa da Nova Aliança. No pão e no vinho da Páscoa contêm o santo amor e sacrifício de Deus que rasgou sua carne e derramou seu sangue para nos salvar (1Co. 5:7, Mt. 26:17-28).

Assim como podemos ver mediante a Páscoa do Antigo Testamento, que é uma sombra, a Páscoa da Nova Aliança é a verdade que nos permite amar a Deus, quem nos salvou do pecado, com todo nosso coração, alma e entendimento. Quando guardamos a Páscoa da Nova Aliança e enchemos nosso coração com o santo amor de Deus, nenhuns outros deuses, incluindo Satanás, poderão tomar o nosso coração.

Por isso, não consideremos a Páscoa simplesmente como uma das festas que guardamos em um dia marcado. Necessitamos ter o amor de Deus em nosso coração valorizando a Páscoa e guardando-a sagradamente. Dando um passo adiante, façamos o mundo todo conhecer essa maneira de amar verdadeiramente a Deus. Esta é a única maneira através da qual podemos amar a Deus com todo o nosso coração alma e entendimento, e amar ao nosso próximo como a nós mesmo, de modo que possamos cumprir a lei.