WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Podemos ver Deus tanto quanto o compreendemos

4 Views
FacebookTwitterEmailLineKakaoSMS

Ao passo que os obreiros da Nova Aliança pregam a palavra com diligência, agora tanto aqui como no exterior nossos novos irmãos e irmãs celestiais estão regressando a Sião para encontrar a verdade. O lugar não parece importar mais para os obreiros, contanto que seja possível pregar. Estão decididos a pregar o evangelho aqui em todo o país e no exterior; alguns pregam no avião, outros em um portaaviões enquanto fazem o serviço militar, e outros em diferentes circunstâncias. Seja em terra, no mar ou no ar, todos pregam a palavra de Deus com paixão, fazendo com que a obra do evangelho se cumpra rapidamente.

Como muitas pessoas foram guiadas a Sião por ouvir a verdade, entre elas, há algumas que entendem a verdade de imediato, e outras que são lentas para compreender a razão pela qual Deus deve vir de novo em carne. Agora, pensemos em que tipo de fé devemos ter para reconhecer Deus corretamente, através do sermão intitulado: “Podemos ver Deus tanto quanto o compreendemos”.

Podemos ver Deus conforme a nossa fé

Há dois mil anos atrás, cada um dos discípulos de Jesus tinha uma fé diferente. Alguns reconheceram Jesus imediatamente, enquanto os outros não.

Um dia, quando Filipe pediu a Jesus que mostrasse o Pai, ele lhe disse: “Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” (Jo.14:6-9). Filipe pensava que Jesus era mais que um profeta, mas até então não reconhecia que ele era Deus Pai.

Embora todos os discípulos fossem ensinados por Jesus, cada um o via de uma forma diferente. Pedro reconheceu Jesus como o Cristo que dá a vida eterna (Jo. 6:68-69). Mas Tomé duvidou, apesar de ter ouvido as notícias de sua ressurreição, e chegou a crer nele depois de ver o sinal dos cravos nas mãos dele e de pôr a mão no lado dele onde a lança o havia atravessado, confessando: “Senhor meu e Deus meu!” (Jo. 20:24-29). E Judas Iscariotes não viu a verdadeira natureza de Jesus, senão que só observou sua vida física; e ao final o traiu.

Por que cada um via Jesus de uma maneira diferente? Porque tinham diferentes tipos de fé. Não podemos ver as coisas com clareza se temos as lentes ofuscadas. Para ver claramente o que está em nossa frente, necessitamos limpar nossas lentes. Da mesma forma, se olharmos Deus com os olhos ofuscados, não podemos vê-lo embora esteja diante de nós.

Quando limpamos tudo o que escurece nossos olhos espirituais, podemos ver Deus claramente. Deus acrescenta sabedoria aos que entendem, para que possam entender Deus ainda mais; mas aos que não entendem, Deus acrescenta fatores que lhes causam mais dúvidas, como a Bíblia disse: “Pois ao que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado”.

Os que têm um entendimento incompleto de Deus, o verão só parcialmente; mas os que entendem completamente Deus, o verão perfeitamente. Deus se mostra 100% a quem tem 100% de fé nele, e 50% aos que têm 50% de fé. Por exemplo, quando Jesus subiu ao Monte da Transfiguração acompanhado por seus discípulos Pedro, Tiago e João, lhes mostrou sua imagem transfigurada (Mt. 17:1-8). Mas, Judas Iscariotes nunca viu sua gloriosa aparência.

Os discípulos que receberam mais bênçãos por sua fé

Temos que compreender plenamente Deus, para vê-lo completamente. Quanto mais cremos em Deus e o compreendemos, mais testemunhos e sabedoria Deus nos dará para que possamos compreendê-lo melhor. Por outro lado, Deus se esconde dos que não entendem e estão cheios de dúvidas (Ref. Is. 45:15). Deus faz algo maravilhoso: se mostra a nós somente na medida em que o compreendemos.

『Indo Jesus para os lados de Cesareia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas … Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus. Então, advertiu os discípulos de que a ninguém dissessem ser ele o Cristo.』Mt. 16:13-20

Jesus disse a seus filhos, que o reconheceram, que não dissessem a ninguém que ele era o Cristo, porque havia bênçãos espirituais a serem dados somente aos que reconheciam Cristo. Jesus deu crédito à fé de Pedro, que o reconheceu corretamente como o Cristo que tinha que vir a esta terra. Por isso, lhe concedeu um enorme presente, isto é, as chaves do reino dos céus, e lhe mostrou muitas vezes seu grande poder com obras milagrosas. Também lhe mostrou sua aparência transfigurada; e na noite em que Pedro e seus companheiros de pesca não pescaram nada, Jesus os fez pescar uma enorme quantidade de peixes, tanto que a barca afundava. Com isso, Jesus os convenceu de que ele era o Cristo e o próprio Deus. Assim, Deus dá mais entendimento aos que entendem.

Jesus, a quem os apóstolos Paulo, Pedro e João viram, era Deus em sua natureza. Igual a eles, nós não devemos duvidar, e sim crer que nosso Pai e nossa Mãe Celestiais, que são Deus Elohim, são nossos Criadores que fizeram todas as coisas. Então, Deus nos mostrará seu grande poder com obras assombrosas.

『No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela … a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome … E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.』Jo. 1:1-14

João reconheceu que Jesus era Deus, o Verbo, que estava no princípio e se fez carne e habitou entre nós. Para os que não acreditavam, Jesus apareceu como um simples homem, um carpinteiro; mas João o viu como o Deus que criou todas as coisas.

João tinha um bom entendimento e estava contente e agradecido de respirar junto com Deus no mesmo lugar e de participar da grande obra de Deus. Igual a um menino que tenta chamar a atenção da sua mãe ao redor dela, João, perto de Jesus, sempre queria se aproximar dele e recostou sua cabeça em seu ombro, e também expressou muita indignação contra os que tentavam obstruir seu caminho (Ref. Jo. 13:23, Lc. 9:51-56).

Ele compreendeu que Deus se fez carne e habitava entre nós. Com este entendimento olhou a Deus, e sempre prestou atenção a tudo o que ele fazia; assim pode entender quanto Deus amava os humanos, e chegou a compreender cada vez mais sobre as bênçãos que receberão todos os que obedecem a sua palavra. Ele, embora sendo perseguido e até mesmo enfrentando perigo de perder sua vida pelo nome de Cristo, estava disposto a sofrer, ansiando a glória do céu. Com esta enorme fé, ele pode escrever o livro do Apocalipse, que é a última vontade de Deus, apesar de ter sido exilado na Ilha de Patmos, e também recebeu a grande bênção de escrever sobre a Mãe celestial, a Noiva do Cordeiro.

Os que não compreenderam Deus, apesar de terem visto-o

Os ensinamentos de vida de Jesus foram pregados a todas as pessoas da Judeia. Alguns os entenderam, mas outros não; alguns creram, e outros não.

Deus se aproxima de cada um de nós de maneira diferente. Aos que não creem, ele mostra coisas mais difíceis para que não possam crer; mas a seus filhos que creem, mostra mais obras gloriosas que os convencem mais. Esta providência de Deus é muito surpreendente e também temível.

『Eu e o Pai somos um. Novamente, pegaram os judeus em pedras para lhe atirar. Disse-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte do Pai; por qual delas me apedrejais? Responderam-lhe os judeus: Não é por obra boa que te apedrejamos, e sim por causa da blasfêmia, pois, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.』Jo. 10:30-33

Os judeus não reconheceram a verdadeira identidade de Jesus, que era Deus, apesar de todos os sinais e milagres que ele fez diante deles. Devido aos seus olhos e corações cauterizados por dureza, viam os ensinamentos de Jesus com um coração incrédulo. Por isso, embora Jesus lhes mostrasse que ele era Deus que veio em carne, não acreditaram nele. Ao contrário disso, eles se mostraram hostis a ele e se deixaram levar por pensamentos iníquos. Finalmente, Deus lhes deu a oportunidade de crucificar Jesus. Deus deixou que os malvados fizessem ainda mais maldades.

Para Judas Iscariotes, que duvidava, Deus lhe mostrou mais coisas que o fazia duvidar. “É este realmente Cristo?” “Tem o poder de salvar-nos?” Com estas dúvidas, seus olhos físicos viram que Jesus não tinha beleza nem majestade que o atraísse, como uma raiz de terra seca. Jesus não teve alta escolaridade, nem possuía poder no mundo como os governadores daqueles dias. As palavras que saíram da sua boca eram grandes e surpreendentes, mas se fosse visto pela aparência, ele não parecia ter poder nem parecia ser Deus.

Já que Judas Iscariotes tinha tantas dúvidas, o diabo entrou nele e o induziu a trair Jesus. No final, ele conspirou com os que pareciam fisicamente poderosos, e tomou um papel decisivo em crucificar Jesus.

『Falava ele ainda, e eis que chegou Judas, um dos doze, e, com ele, grande turba com espadas e porretes, vinda da parte dos principais sacerdotes e dos anciãos do povo … E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, sacou da espada e, golpeando o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe a orelha. Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão. Acaso, pensas que não posso rogar a meu Pai, e ele me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos? Como, pois, se cumpririam as Escrituras, segundo as quais assim deve suceder?』Mt. 26:47-54

Embora Jesus estando nesta terra em carne, ele podia chamar mais de doze legiões de anjos. Deus trocou sua roupa espiritual pela terrena; mas isso não significa que havia mudado sua natureza divina e seu poder.

Deus habitou na mesma carne, assim como nós, e viveu junto com seus discípulos, limitado pelo tempo e espaço. Por isso, embora Pedro reconhecesse Deus, sua fé vacilava em um momento crítico e urgente. Por tudo isso, Jesus, depois de ter ressuscitado, deu mais convicções aos seus discípulos que tinham fé nele, para que eles pudessem ter uma fé ainda maior que a de antes. Assim, eles se convenceram de que Jesus os amou até o final, antes da sua ascensão ao céu. Desde que Jesus ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, lhes mostrou seu corpo ressuscitado e até a sua acensão. Aos que acreditaram, lhes mostrou constantemente provas convincentes. Mas, Judas Iscariotes, cuja fé não era genuína, nunca foi testemunha destas gloriosas cenas, e terminou traindo a Jesus e atraindo destruição sobre si mesmo, como se descreve na Bíblia.

O mundo não conhece a Deus, que veio a esta terra em carne. Os que difamam veem tudo como um motivo de calúnias. Por isso, Jesus disse: “Bem-aventurado é aquele que não achar em mim motivo de tropeço” (Mt.11:6). Os que reconhecem corretamente Cristo e o compreendem são realmente bem-aventurados.

Olhemos a verdadeira natureza de Deus

Há dois mil anos atrás, quando Jesus foi crucificado, os que não acreditaram se concentraram só no pensamento: “Que tipo de poder ele usará para sair de tão crítica situação?” Não obstante, Jesus suportou em silêncio a dor extrema e o sofrimento na cruz, derramando seu sangue. Aos olhos dos que não acreditavam parecia que aparentemente Jesus sofreu porque não tinha poder. Mas, os que compreenderam puderam ver Cristo sofrer e levar as transgressões e iniquidades feitas por eles mesmos, como se descreve no capítulo 53 de Isaías. Cristo permitiu que estas pessoas fossem testemunhas do milagre da sua ressurreição dentre os mortos ao terceiro dia.

Hoje em dia, nesta época, se compreendemos completamente que a Bíblia é a palavra de Deus, devemos aceitar com o coração aberto os ensinamentos da verdade de Deus Elohim, que aparece na Bíblia. Deus não precisa ter algum testemunho de homem a respeito de si mesmo, porque ele mesmo sabe o que é a natureza humana (Jo. 2:25). Se a Bíblia dá testemunho de Deus, precisamos crer nele. Quando acreditarmos nos ensinamentos da Bíblia e os compreendermos, seremos capazes de ver a verdadeira natureza de Deus.

『Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra … Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.』Os. 6:3-6

A Bíblia nos disse que conhecêssemos e prosseguíssemos em conhecer a Deus. Embora lhe ofereçamos mediante o culto milhares sacrifícios e milhares de vezes, se não conhecemos a Deus, de nada nos serve. Se adoramos a Deus sem crer corretamente nele, não somos diferentes dos que adoravam tolamente a um deus desconhecido em Atenas, como disse o apóstolo Paulo (Ref. At. 17:22-23).

Olhem a Deus que está conosco, e tenham fé. Quando olhamos a Deus com os olhos cheios de fé, podemos ver um momento milagroso, como quando Jesus alimentou cinco mil pessoas com cinco pães e dois peixes. Se alguém não vê este milagre que se faz diante dos seus olhos, isso é em razão de suas lentes espirituais estarem ofuscadas. Em Deus não há mudança, nem sombra de variação (Tg. 1:17). É pela fé que alguns veem Deus claramente, e outros ofuscam sua verdadeira identidade.

Devemos prosseguir em conhecer a Deus, pois a Bíblia diz que Deus se agrada de que o conheçamos e o compreendamos, mais do que sacrifícios. Recordando que Deus abre o caminho às bênçãos para os que creem e entendem, tenhamos um correto conhecimento e entendimento de Deus, para que recebamos a bênção do céu, como Pedro e João.

Certamente nosso Deus tem o grande poder de salvar o mundo. Espero que todos os filhos de Sião guiem a humanidade pelo caminho reto, como o sal e a luz do mundo, tendo fé e participando da surpreendente obra do evangelho que nosso santo Deus Elohim está cumprindo.

FacebookTwitterEmailLineKakaoSMS