WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

A Igreja de Deus considera importante as festas solenes como o dia de sábado e a Páscoa, as quais outras igrejas não celebram. Há alguma razão especial?

183 Visualizações

Aquele que estabeleceu as festas solenes e nos mandou guardá-las é o próprio Deus. Entre as leis instituídas por Deus, não há nenhuma lei que não tenha relação com a nossa salvação ou que não tenha significado. As festas solenes registradas na Bíblia também têm uma relação estreita com a nossa salvação.

A razão pela qual Deus estabeleceu as festas solenes

Todos nós somos pecadores que pecaram no céu e foram expulsos a esta terra. Nenhuma pessoa, já que nasceu neste mundo, pode escapar da pena da “morte”, que é o resultado do pecado.

“porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Rm. 6:23

A fim de salvar os pecadores que estavam destinados a morrer devido aos pecados que haviam cometido no céu, Deus derramou o seu precioso sangue na cruz. E por meio de sua morte no lugar de toda a humanidade, Deus mostrou o seu grande amor a todos eles e manifestou o seu majestoso poder. As festas solenes de Deus contêm esse grande significado, o qual nos ajuda a recordar o sacrifício e o amor de Cristo e a comemorar o poder de Deus que nos guia ao eterno reino celestial.

Deus estabeleceu as festas solenes com o propósito de dar entendimento do princípio espiritual às pessoas do mundo que vivem nesta terra sem saber sua origem, e para guiá-las ao caminho da salvação.

As festas solenes de Deus

Entre as festas solenes de Deus, há uma festa semanal que é o dia de sábado. E também estão as festas anuais: a Páscoa, a Festa dos Pães Asmos, o Dia da Ressurreição (A Festa das Primícias), o Dia de Pentecostes (A Festa das Semanas), a Festa das Trombetas, o Dia da Expiação e a Festa dos Tabernáculos. Estas festas solenes se agrupam em três tempos ao ano. São chamadas as “sete festas de três tempos” (Lv. 23).

As sete festas de três tempos se originaram das obras de Moisés. Quando os israelitas viviam como escravos no Egito, Deus escolheu Moisés como líder para emancipar o povo de Israel da escravidão do Egito e guiá-lo a Canaã. As obras que Moisés fez em um ano a partir do tempo do Êxodo, chegaram a ser a origem de cada festa. Através destas obras de Moisés, Deus mostrou de antemão as obras da salvação que Jesus, que havia de vir como o Salvador, cumpriria para libertar o seu povo deste mundo pecaminoso e levá-lo à Canaã celestial (Hb. 3:2-6).

Adorar a Deus em espírito e em verdade através dos cultos das festas solenes

Nos tempos do Antigo Testamento, os israelitas ofereciam a Deus sacrifícios de animais como cordeiros ou cabritos, pondo o seu sangue sobre o altar segundo as regras das festas. Nos tempos do Novo Testamento, Jesus estabeleceu as festas da Nova Aliança que são sacrifícios espirituais. Desta maneira, guardamos as festas através dos cultos em espírito e em verdade (Jo. 4:24).

“Chegou o dia da Festa dos Pães Asmos, em que importava comemorar a Páscoa. Jesus, pois, enviou Pedro e João, dizendo: Ide preparar-nos a Páscoa para que a comamos. […] E, indo, tudo encontraram como Jesus lhes dissera e prepararam a Páscoa. Chegada a hora, pôs-se Jesus à mesa, e com ele os apóstolos. E disse-lhes: Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes do meu sofrimento. […] E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.” Lc. 22:7-20

“Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler.” Lc. 4:16

O próprio Jesus nos mostrou o exemplo de guardar as festas solenes da Nova Aliança. Ao rendermos culto em espírito e em verdade segundo os ensinamentos de Jesus Cristo, nós recebemos as bênçãos que são prometidas ao povo de Deus que celebra as festas solenes.

“Olha para Sião, a cidade das nossas solenidades; os teus olhos verão a Jerusalém, habitação tranquila, tenda que não será removida, cujas estacas nunca serão arrancadas, nem rebentada nenhuma de suas cordas. Mas o SENHOR ali nos será grandioso, […] Nenhum morador de Jerusalém dirá: Estou doente; porque ao povo que habita nela, perdoar-se-lhe-á a sua iniquidade.” Is. 33:20-24

A maioria dos cristãos se orgulha dizendo ser o povo de Deus. Porém, por meio das festas solenes, Deus distingue o seu povo que será salvo.

“Intima os céus lá em cima e a terra, para julgar o seu povo. Congregai os meus santos, os que comigo fizeram aliança por meio de sacrifícios (festas solenes).” Sl. 50:4-5

“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos (festas solenes) de Deus e a fé em Jesus.” Ap. 14:12

Aqueles que celebram as festas solenes de Deus são chamados de santos. Portanto, quem não guardar as festas solenes de Deus não poderá ser participante da salvação. Devemos guardar por completo as festas solenes que Deus nos ordenou, e não as festas criadas por homens como o culto dominical e o Natal. Apenas então poderemos alcançar a salvação. Esta é a razão pela qual guardamos preciosamente as festas solenes de Deus.