WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

A Fé Vem pelo Ouvir

Han Chan-hyeon, de Busan, Coreia

203 Visualizações

“Hoje em dia, vai à igreja?”

“Você é ministro?”

Isto é o que meus conhecidos costumam me dizer hoje em dia. Quando os ouço dizer isso, me sinto aliviado, pensando: “Estou no caminho certo”, porque isso significa que minha aparência, palavras e ações são diferentes de antes.

Há 19 anos, segue a minha esposa e aceitei a verdade de Deus. No início, não tinha ideia sobre a igreja, mas participando de esportes e fazendo vários serviços com os membros, me tornei ligado à igreja e guardava regularmente todos os cultos. No entanto, minha vida diária estava longe da vida cristã. Desde que sai da empresa e comecei o meu próprio negócio, sempre estava ocupado, sem ter ideia do que estava por vir. Como resultado, gradualmente negligenciei a obra de Deus, e até os sentimentos de pesar que eu tinha no início se tornaram embotados.

Entretanto, em algum momento, me senti perdido e vazio na minha vida. Como meu negócio se estabeleceu até certo ponto e alcançou desempenho num grande projeto, senti uma sensação de realização, mas isso foi só por um tempo. Eu senti como se estivesse faltando alguma coisa, e eu realmente senti falta. Embora eu fosse grandemente abençoado por ser um filho de Deus, eu estava apenas olhando para a realidade, perdendo os galardões no céu.

Quando estava pensando que devo me mudar, a minha esposa me encorajou a escutar os sermões enquanto dirigia. Como faço negócio para empresas em todo o país, dirijo longas horas. Quando tem muitas viagens de negócio, dirijo cerca de doze horas por dia. Os sermões que escutava sem pensar no início, se tornaram como um companheiro de viagem de negócio que até ouvia oito sermões durante o dia todo. Quando mais ouvia a palavra de Deus, comovia mais o meu coração.

Em particular, o versículo: “Quem dera fora frio ou quente!” (Ap. 3:15), parecia que beliscar minha fé morna. E eu entendi o porquê Salomão que havia experimentado todas as coisas boas do mundo, disse: “Teme a Deus, porque isto é o dever de todo homem” (Ec. 12:13). Daquele momento em diante, determinei viver uma verdadeira vida religiosa, e quanto ia viagem de negócio com os funcionários, pedia paciência e reproduzia os sermões.

A palavra de Deus não apenas despertou minha alma. Um funcionário que viajava frequentemente comigo era uma pessoa que não interessava em Deus ou religião, porém após a ouvir os sermões, se interessou pela Bíblia e começou a me perguntar sobre isso e aquilo. Logo, ele veio à Sião e recebeu a verdade.

Que maravilhoso! Meu coração batia como se eu tivesse o mundo inteiro. Após ter experimentado a recompensa que é completamente diferente da satisfação que recebo no meu negócio, surgiu o desejo de compartilhar a palavra de Deus.

Em primeiro lugar, decidi levar rapidamente meus funcionários aos braços de Deus. Pensei: Como poderia levar alguém a Deus se eu não pregasse aos funcionários que sempre estão comigo. Fui cauteloso porque cada um deles tinha tendências religiosas diferentes e eles podiam sentir que eu estava obrigando-os. Mas eu não conseguia ficar parado pelas almas deles, então eu disse sinceramente: “Espero que você seja abençoado por Deus porque dirige muito e muitas vezes está ansioso trabalhando nos campos”. As férias de outono finalmente chegaram. Depois de orar fervorosamente para que os funcionários fossem abençoados com o Espírito Santo de Deus, preguei a palavra da Bíblia para cada um.

A fé em Deus foi plantada no coração dos funcionários que eram ateus. Embora demorassem a compreender a verdade, me aliviaram, dizendo: “Ainda tenho que aprender mais. Pelo menos duas vezes por mês, vou à igreja e estudarei, então, por favor, me ensine bem”, e até guiaram os seus conhecidos. Um funcionário que se afastou de Sião depois de viver na fé por um curto período de tempo, traçou uma linha dizendo: “Não quero que você fale sobre a religião”, e isso machucou meu coração. No entanto, outro funcionário que tinha acabado de aceitar a verdade cuidou bem dele toda vez que viajou a negócios e ensinou-lhe a Bíblia perguntando-me sobre a verdade que ele não conhecia. Como resultado, o funcionário pode continuar sua fé novamente.

Finalmente, todos os meus funcionários receberam a bênção de serem filhos de Deus. Hoje em dia, perece que estou num sonho. Quando vou trabalhar, oro junto com meus funcionários a Deus antes de começar a trabalhar. É a “empresa familiar” que muitas pessoas desejam. Como eles são todos os meus irmãos e irmãs espirituais, eles não são relacionamentos comerciais onde ordens de serviço e relatórios vêm e vão, e sim eles consideram as circunstâncias um do outro, confortam e oram um pelo outro. Também estou me esforçando a ser uma pessoa amigável como um irmão mais velho ou um pai para meus irmãos e irmãs.

Recentemente, lemos as Lições da Nossa Mãe mais de uma vez por dia. Acredito que podemos viver o mundo mesmo sem lei se seguirmos as lições da Mãe. Dar amor, sacrifício, humildade, paciência, consideração, conceder… a resposta para resolver todos os problemas do mundo está nas lições da Mãe. No passado, eu pensei que seria uma perda se eu vivesse assim. Eu estava errado. Ao praticar as lições da Mãe, a confiança cresce, o riso aumenta e as brigas desaparecem.

É bom para os funcionários poderem trabalhar livremente no trabalho, e me sinto muito mais seguro com os funcionários que se entendem. Como empresário, responsável pelo sustento da minha família e dos funcionários, costumava estar sobrecarregado com uma sensação de pressão e até me preocupava com coisas desnecessárias. No entanto, quando confiei em Deus, as preocupações e as pressões desapareceram tudo. Vendo-me mais relaxado e saudável, percebi que aproximar de Deus era absolutamente escolha certa. Ah, há outra boa notícia. É que a harmonia familiar foi mais fortalecida. Agora passo mais tempo com minha esposa e meu filho, e estamos mais felizes do que nunca. Tudo isso é graça e bênção de Deus. Agradeço verdadeiramente ao Pai e à Mãe por fazerem me viver em uma vida mais feliz e mais significativa.

Eu costumava acreditar que a vida social e a vida religiosa não podem ser combinadas. Pensei que seguiria a Deus corretamente somente quando me aposentasse, depois dos sessenta anos. Esquecendo o fato de que ninguém pode se gloriar do dia de amanhã, eu era tão arrogante e tolo.

Deixei meus Pais espirituais terrivelmente angustiados por cerca de vinte anos. Tenho o coração culpado. Já que tenho sido abençoado muito por Deus, eu tenho que me dedicar mais à obra do evangelho. Agora estou tentando fazer toda a pregação que não fiz antes. Com as metas e planos do evangelho, me divirto todos os dias e sinto minha alma viva. Meus conhecidos que trabalham em várias indústrias, meus estudantes universitários que ensino em uma faculdade… eu percebo que essa ampla rede de pessoas também é uma conexão preciosa que Deus me deu para guiar mais almas. Oro para que Deus abençoe meu coração a continuar estando sempre cheio de gratidão e que minha determinação e compromisso de pregar a todos sem faltar nenhuma pessoa, continuem dia após dia.