WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Guardem-Se dos Ídolos

645 Visualizações

Um ídolo é uma imagem visível ou invisível criada pelo diabo para fazer com que nos afastemos de Deus, e o adoremos em seu lugar. Uma doutrina falsa que nos induz a não seguir a verdade é um tipo de ídolo; e em um sentido amplo, tudo o que amamos mais que a Deus é um ídolo. Desta vez, vamos dar uma olhada no conceito de ídolos.

1. Ídolos visíveis

“Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; […]” Êx. 20:4-5

O universo criado por Deus é infinitamente vasto; ele nem sequer pode ser medido com o conhecimento humano. Agora podemos observar mais o universo com o avanço científico, porém a única coisa que temos encontrado é que é enormemente vasto.

É impossível para os seres humanos medir o tamanho do universo. No entanto, vamos tentar entender um pouco o tamanho do universo com base no conhecimento científico que nós humanos temos.

Utilizamos a unidade “anos-luz” para medir a distância no universo. A luz viaja a uma velocidade de 300.000 ㎞ por segundo; em um segundo, ela dá a volta na Terra sete vezes e meia. Um ano-luz é a distância que a luz pode percorrer em um ano.

Há centenas de bilhões de galáxias no universo. A galáxia à qual a Terra que vivemos pertence, se chama “Via Láctea”. O sol e os aglomerados de estrelas que giram em torno do sol são chamados coletivamente de “sistema solar”.

O sistema solar está localizado a uma distância de cerca de 28.000 anos-luz do centro da Via Láctea, e leva as estrelas do sistema solar a orbitar ao redor da galáxia a uma tremenda velocidade de 200 ㎞/s, e leva cerca de 200 milhões de anos para completar uma volta. Há por volta de 200 bilhões de estrelas em nossa galáxia, porém elas estão muito distantes de nós. Por isso, aos nossos olhos apenas parecem como pequenos pontos que brilham. Se o sol estivesse a 10.000 anos-luz de distância da Terra, o veríamos apenas como uma das muitas estrelas no céu escuro.

O centro de nossa galáxia emite 100 bilhões de vezes mais energia que o sol. Contudo, como está muito distante de nós, apenas parece um amontoado de estrelas brancas. A distância entre uma extremidade da nossa galáxia até a outra, é tão longa que demora 100.000 anos na velocidade da luz e é dito que existe centenas de bilhões de galáxias como a nossa no universo.

Deus criou este imenso universo, e nós somos aqueles que adoram ao Deus Criador. Então, a que compararemos o nosso Deus e através de qual imagem poderemos comemorar? Pode o sol, criado por Deus, ser comparado a ele? Ou pode Deus ser semelhante à lua, sua criação? O sol e a lua são insignificantes para Deus. Inclusive uma imensa galáxia não é nada além de uma criação de Deus. Nada pode simbolizar o Deus Criador Todo-Poderoso. Obedecer às ordens de Deus é o único dever do povo de Deus.

“Quem guiou o Espírito do SENHOR? Ou, como seu conselheiro, o ensinou? […] Eis que as nações são consideradas por ele como um pingo que cai de um balde e como um grão de pó na balança; as ilhas são como pó fino que se levanta. […] Todas as nações são perante ele como coisa que não é nada; ele as considera menos do que nada, como um vácuo. Com quem comparareis a Deus? Ou que coisa semelhante confrontareis com ele? O artífice funde a imagem, e o ourives a cobre de ouro e cadeias de prata forja para ela. […]” Is. 40:13-20

“Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens. Têm boca e não falam; têm olhos e não veem; têm ouvidos e não ouvem; pois não há alento de vida em sua boca. Como eles se tornam os que os fazem, e todos os que neles confiam.” Sl. 135:15-18

2. Ídolos invisíveis

1) Doutrinas

Entre os ídolos invisíveis, existem doutrinas que são diferentes dos mandamentos de Deus. Deus nos permitiu os seus mandamentos. Se não guardar os mandamentos de Deus e guardar outras doutrinas em seu lugar, isto é idolatria. Por exemplo: Deus estabeleceu o dia de sábado, porém se guardar o domingo, chamando o domigo de dia de repouso, então isso é idolatria por violar o dia de sábado. Deus também estabeleceu a Páscoa, porém se não celebrar a Páscoa, mas celebra o dia 25 de dezembro, o nascimento do deus sol, isto é uma idolatria que viola a Páscoa. Deus também estabeleceu a Festas dos Tabernáculos, contudo, se rejeitar a Festa dos Tabernáculos e guardar o Dia de Ação de Graças, o mandamento criado pelo homem, isto se torna uma idolatria que viola a Festa dos Tabernáculos. Dessa maneira, violar os mandamentos que Deus estabeleceu e celebrar os mandamentos criados pelos homens é idolatria contra os mandamentos de Deus.

2) Hobbies

No mundo, as pessoas são encorajadas a ter hobbies saudáveis. É bom ter os passatempos apenas se não cruzam o nosso caminho ao reino dos céus. Contudo, se eles impedirem nosso caminho, serão os ídolos que nos atraem mais que Deus, não é mesmo?

Suponhamos que uma pessoa goste de ir em, e vai a uma excursão em um dia de sábado, o dia de culto a Deus. Para esta pessoa, a excursão se tornou um ídolo. Se um membro de fé fraca não assiste a um culto para assistir um jogo de futebol no dia de sábado, o futebol é um ídolo para ele. Dessa forma, tudo o que alguém ama mais que a Deus – que o atrai mais que Deus, – é sem dúvida, um ídolo.

Porém, as atividades de lazer apropriadas dos que guardam o culto a Deus certamente no dia de culto e fazem a obra do evangelho, elas não são consideradas ídolos.

3) Coisas materiais

“Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.” 1Tm. 6:10

Se dar mais importância em juntar os bens materiais do que guardar os mandamentos de Deus, esses materiais se tornam ídolos que fazem afastar de Deus. É claro, precisamos do dinheiro para viver na terra. Porém, se uma pessoa se apega ao dinheiro e ama o dinheiro mais do que servir a Deus, o dinheiro é sem dúvida um ídolo para essa alma.

Assassinatos, roubos e todo o tipo de crimes hediondos resultam do amor exagerado ao dinheiro. Dessa maneira, quando o amor pelo dinheiro ultrapassa da linha, começa a ter um pensamento distorcido de que não é o dinheiro que é necessário para as pessoas, e sim, que as pessoas são necessárias para o dinheiro.

4) Ganância

“Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência].” Cl. 3:5-6

Ao nosso redor, vários tipos de ídolos nos seduzem para que afastemos da fidelidade à Deus, e um deles é a ganância. Buscar as melhores coisas é parte do instinto humano. Contudo, se esse desejo ficar maior do que o amor a Deus, esse será um ídolo que devemos ficar alertas, sem falta. Roubar as coisas de outros, também é o resultado de seguir a ganância. Podemos dizer que a obsessão por alcançar uma posição alta e respeito é um tipo de idolatria também. A posição ou honra tem alguma relação com a nossa salvação? Pode nos guiar ao reino dos céus? Não importa o que seja, se amamos algo mais que a Deus, isto é um ídolo.

“Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar.” Rm. 8:5-7

5) Pessoas

Se uma pessoa ama alguém mais que a Deus, esse alguém pode se tornar um ídolo para ela. Para aqueles que gostam de celebridades e gostam de vê-las, inclusive esquecendo o tempo de adorar a Deus, ou estão obcecados pensando nelas durante o culto, isto sem dúvida é um ídolo para eles. Mesmo que alguém ame mais seus filhos ou pais do que a Deus, isto pode se tornar um ídolo, e um relacionamento do gênero oposto também pode se tornar um ídolo.

“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim. Quem acha a sua vida perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa achá-la-á.” Mt. 10:37-39

Isto não significa que não devemos amar nossos pais e filhos. Esta é uma palavra que nos diz que não devemos amá-los mais que a Deus, para que não nos afastem de Deus, perdendo a salvação.

Já que Jesus sabe de tudo – nossa vida no céu, na terra e após esta vida –, nos ensinou a amar mais a Deus para que possamos ser abençoados.

Se amar alguém verdadeiramente, desejará agradá-lo e tentará saber no que esse alguém se interessa. Por exemplo, se a pessoa que ama, gostar de poemas, fará o esforço de ir a uma livraria e comprar um livro de poemas para ler, porque irá querer falar de poemas com ele para ganhar seu coração, quando o encontrar.

Do mesmo modo, se amamos a Deus, tentaremos fazer o que agrada a Deus e cumpriremos o que Deus quer que façamos.

6) Nossos próprios pensamentos

Mesmo que digamos que servimos a Deus, temos a tendência de fazer as coisas de acordo com os nossos próprios pensamentos em vez de seguir a vontade de Deus. Quando nos apegamos ao pensamento: “Deus deve trabalhar assim”, isto nos leva a rejeitar a Deus que trabalha e ama aos seres humanos de uma maneira diferente dos nossos próprios pensamentos. Dessa maneira, querer mostrar a minha própria justiça ao invés de revelar a justiça de Deus, isto se torna ídolo para nós e nos afasta de Deus.

No passado, Saul, o primeiro rei de Israel, recebeu uma ordem de Deus e enviou suas tropas para destruir os amalequitas e tudo o que possuíam. Mas, Saul pensou que as palavras das pessoas tinham mais sentido que a palavra de Deus; ele destruiu as coisas que eram sem valor e fracas, porém deixou o melhor das ovelhas, do gado, e os animais gordos, isto é, tudo o que era bom.

Quando o profeta Samuel apontou sua falta, o rei Saul se desculpou: “O povo poupou o melhor das ovelhas e dos bois, para os sacrificar ao SENHOR, teu Deus em Gilgal”. Então, o profeta Samuel disse: “Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria” (1Sm. 15:21-23).

Deus nos ensinou que desobedecer às suas palavras é como o pecado de rebelião; e que insistir em nossos próprios pensamentos em vez de seguir a sua palavra é como o mal da idolatria. Devemos saber que ser desobediente e obstinado é cometer idolatria.

Nós sempre devemos preparar a fé que pode obedecer quando a palavra de Deus vier a nós. Somente assim, poderemos seguir o Cordeiro por onde quer que vá. Sermos incapazes de seguir o Cordeiro por onde quer que nos guie significa que consideramos nós mais justos que Deus. Quando pensamos: “Eu acho que Deus deve fazer desta maneira. Esse método não é digno de Deus usar, não é?”, não podemos seguir a Deus.

“[…] eles têm zelo por Deus, porém não com entendimento. Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus.” Rm. 10:2-3

Os homens não são inteligentes ao ponto de não saber nem um instante do futuro. Não sabemos se o diabo, nosso malvado inimigo, nos preparou uma armadilha pelo caminho que vamos, por parecer bom. Deus que sabe de tudo, nos ordena fazer um desvio. Mas, depois de decidir que o nosso pensamento é a resposta, começamos a não prestar atenção às palavras de Deus nunca mais. No fim, avançando com teimosia e desobediência por considerar os nossos pensamentos mais justos que os de Deus, caímos na armadinha do diabo.

É uma grave idolatria insistir em nossa própria justiça sem conhecer a justiça de Deus. O ídolo, que nós que estamos na verdade devemos nos abster, é considerar os nossos próprios pensamentos e juízos como os mais justos. Está escrito: “Se alguém julga saber alguma coisa, com efeito, não aprendeu ainda como convém saber” (1Co.8:2). Na verdade, o que entendemos não passa de uma pequena parte. Portanto, sempre devemos ser humildes. Não nos tornamos humildes simplesmente fingindo ser modestos; podemos pensar com humildade e nos comportar com humildade quando compreendemos o quanto nos falta e quão desinteligente somos. Em outras palavras, precisamos conhecer a nós mesmos. Poderemos ver a Deus corretamente quando conhecermos a nossa posição, situação ou condição. E nós devemos temer a Deus. Temer a Deus significa ter medo de Deus e respeitar a Deus. Se não temermos a Deus, nos tornaremos insolentes e arrogantes e então, a nossa mente se encherá de ídolos e nos afastaremos de Deus apenas para nos aproximarmos do diabo. Se nos engrandecermos, Deus que age em nós se tornará pequeno; se nos fizermos pequenos, Deus que age em nós se engrandecerá. Sabendo disto, devemos nos converter em um “cordeiro menor que o Cordeiro”, para poder seguir a Deus por onde quer que vá.

3. Ponto de vista sobre os ídolos

Os ídolos são as coisas que amamos mais do que a Deus, ou os pensamentos e crenças, em outras palavras, todas as coisas que foram criadas com o propósito de nos impedir de entrar ao reino dos céus.

Nós sempre devemos ser capazes de detectar a idolatra que nos rodeia e que nos afasta de Deus. Há vários tipos de ídolos visíveis e invisíveis ao nosso redor: eles podem ser vistos por nossos olhos, podem ser doutrinas, ou podem ser algo em nossos pensamentos. Eliminemos todos os ídolos e avancemos completamente a Deus. A idolatria é uma obra que Deus considera má, desde os tempos do Antigo Testamento até nos tempos do Novo Testamento.

“[…] aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.” Ap. 21:8

Nós, o povo de Sião, que se converteu em filhos de Deus através da Nova Aliança, devemos estar sempre alertas à idolatria que nos espreita em nosso coração ou em nosso redor, e nos esforçar para servir somente a Deus.

“Portanto, meus amados, fugi da idolatria. Falo como a criteriosos; julgai vós mesmos o que digo. Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo; porque todos participamos do único pão. […]” 1Co. 10:14-22

Chegamos a ser um corpo com Cristo através da Páscoa da Nova Aliança, e por isso, somos o templo onde o Espírito Santo habita. Portanto, na epístola à igreja de Corinto, Paulo disse: “Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente” (2Co. 6:16).

O ponto de vista sobre os ídolos, que os apóstolos e os santos da igreja primitiva mantinham, agora nos dá uma orientação e bons exemplos no caminho ao céu. Quando temos ídolos em nosso coração ou os servimos, o Espírito Santo não pode permenecer em nós; quando o Espírito Santo nos deixa, o espírito mau domina a nossa alma. Portanto, temos que nos guardar dos ídolos. Quando eliminarmos toda a idolatria de nós, que somos o templo de Deus, o Espírito Santo nos cuidará e nos fará entrar no reino dos céus.