WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Deus Habita em Carne na Cidade de Sião

173 Visualizações

Uma das coisas que todos os cristãos, que aguardam a salvação e a vida eterna, não devem negligenciar é encontrar Deus. O profeta Isaías escreveu: “Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”.

Através dessas palavras, podemos entender que somos capazes de encontrar Deus somente quando ele está perto de nós. Então, vamos descobrir em que momento é que Deus está perto, onde podemos encontrá-lo e de que maneira nos faz seu povo e nos dá a salvação.

A cidade de Sião – a verdadeira igreja onde Deus habita

“Olha para Sião, a cidade das nossas solenidades; os teus olhos verão a Jerusalém, […] Mas o SENHOR ali nos será grandioso, […] o SENHOR é o nosso legislador, o SENHOR é o nosso Rei; ele nos salvará. […] ao povo que habita nela, perdoar-se-lhe-á a sua iniquidade.” ​Is. 33:20-24

Esta profecia foi a revelação que o profeta Isaías viu sobre o que aconteceria no futuro: o povo que mora na cidade de Sião guardaria as festas solenes, Deus Jeová se tornaria o rei de Sião e estabeleceria a lei em Sião, e reinaria sobre o povo, e o povo de Sião receberia o perdão dos pecados. Ele viu essas coisas e as escreveu na Bíblia.

Algumas pessoas não entendem essas coisas e dizem que a cidade de Sião é o reino dos céus ou Jerusalém na Palestina. A razão de dizer isso é que eles pensam: “Sião é o lugar onde Deus Jeová está como rei. Então não deveria ser o reino dos céus?” ou “Já que Sião é o lugar onde as festas solenes são celebradas, não deveria ser a Jerusalém física?” No entanto, estas são apenas interpretações dos homens.

A cidade de Sião, que o profeta Isaías escreveu por revelação, era uma profecia sobre a Igreja de Deus que celebra as festas da Nova Aliança que Deus Jeová mesmo estabeleceria vindo em carne no futuro. Em outras palavras, era uma profecia sobre a Igreja de Deus que seria estabelecida por Deus Jeová quando ele viesse em carne com o nome de Jesus.

“Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta.” ​Zc. 9:9

De acordo com os escritos de Isaías, o rei de Sião é Deus Jeová. O profeta Zacarias profetizou que Deus Jeová viria montado num jumento, quando ele viesse como o rei de Sião. E Jesus provou que ele era o rei de Sião ao entrar em Jerusalém, montado em um jumento.

“[…] enviou Jesus dois discípulos, dizendo-lhes: Ide à aldeia que aí está diante de vós e logo achareis presa uma jumenta e, com ela, um jumentinho. Desprendei-a e trazei-mos. […] Ora, isto aconteceu para se cumprir o que foi dito por intermédio do profeta: Dizei à filha de Sião: Eis aí te vem o teu Rei, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de animal de carga. Indo os discípulos e tendo feito como Jesus lhes ordenara, trouxeram a jumenta e o jumentinho. Então, puseram em cima deles as suas vestes, e sobre elas Jesus montou. E a maior da multidão estendeu as suas vestes pelo caminho, e outros cortavam ramos de árvores, espalhando-os pela estrada. […]” ​Mt. 21:1-9

Embora não tenha sido uma entrada cerimonial de um rei em um palácio real, montado num cavalo branco com uma cela de qualidade e esplêndidas sedas e cetins, os discípulos de Jesus o trataram com respeito como o rei de Sião, estendendo suas vestes no caminho para Deus Jeová que havia vindo a esta terra em carne segundo a profecia. Foi uma vinda muito humilde, em comparação com a dos reis do mundo, mas Jesus veio a este mundo com uma firme vontade de salvar seus filhos. Jesus é Deus Jeová, o rei de Sião, que todos os profetas do Antigo Testamento profetizaram.

A lei da Nova Aliança estabelecida por Deus, o rei de Sião

Em Isaías 33, Deus Jeová disse que iria estabelecer a lei em Sião. Então, qual é a lei que ele estabeleceria em Sião?

“Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. […] Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei.” ​Jr. 31:31-34

Esta palavra também foi uma profecia sobre as coisas que Deus cumpriria quando viesse a terra em carne como o rei de Sião. Deus Jeová disse que quando ele viesse no futuro, estabeleceria a Nova Aliança e faria com que as pessoas que entrassem na Nova Aliança fossem seu povo, e ele seria o seu Deus. E quem cumpriu essa profecia do livro de Jeremias foi Jesus.

“Chegou o dia da Festa dos Pães Asmos, em que importava comemorar a Páscoa. Jesus, pois, enviou Pedro e João, dizendo: Ide preparar-nos a Páscoa para que a comamos. […] E, indo, tudo encontraram como Jesus lhes dissera e prepararam a Páscoa. […] E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, […] dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.” ​Lc. 22:7-20

O profeta Isaías profetizou que Jeová iria estabelecer a lei em Sião, e o profeta Jeremias profetizou que Jeová iria estabelecer a Nova Aliança. E Jeová veio em carne com o nome de Jesus e estabeleceu a Nova Aliança. Então a lei estabelecida em Sião deve ser a Nova Aliança, certo? Portanto, Jesus é Deus Jeová, o rei de Sião, que todos os profetas profetizaram.

E no livro de Isaías 33, está escrito que os pecados daqueles que habitam em Sião seriam perdoados. De acordo com essa palavra, o perdão dos pecados foi dado através da lei que Jeová estabeleceu em Sião, ou seja, a Nova Aliança.

“[…] E eles fizeram como Jesus lhes ordenara e prepararam a Páscoa. […] Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados.” ​Mt. 26:17-28

O próprio Deus (Jesus) veio em carne, e estabeleceu Sião e a Nova Aliança através da Páscoa. E aqueles que estão na Nova Aliança, recebem o perdão dos pecados e se tornam o povo de Deus, e Deus se torna seu Deus, para os que habitam em Sião.

Todas as bênçãos que foram escritas na Bíblia são prometidas apenas para aqueles que habitam em Sião. Portanto, todos podem alcançar a salvação somente se estiverem em Sião e se encontrarem com Deus que habita nela, e estiverem na lei da Nova Aliança que Deus ensina em Sião. Este é o ensinamento da Bíblia.

Deus em carne que estabelece Sião

Por muitas vezes, os profetas do Antigo Testamento profetizaram várias vezes que Jesus viria e estabeleceria Sião.

“E com respeito a Sião se dirá: Este e aquele nasceram nela; e o próprio Altíssimo [Deus] a estabelecerá.” Sl. 87:5

“Levantar-te-ás e terás piedade de Sião; […] porque o SENHOR edificou a Sião, apareceu na sua glória,” ​Sl. 102:13-16

“Pois o SENHOR escolheu a Sião, preferiu-a por sua morada: Este é para sempre o lugar do meu repouso; aqui habitarei, pois o preferi. […] Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes. É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.” Sl. 132:13-133:3

A vida eterna é a bênção que só é concedida em Sião. Então, por qual razão a vida eterna é dada em Sião? É porque Deus que veio em carne habita em Sião.

Todos os profetas do Antigo Testamento, como Davi, que escreveu o livro de Salmos sendo movido pelo Espírito de Deus, Isaías, Jeremias, etc., escreveram que Deus mesmo estabeleceria Sião, estabeleceria a lei e concederia a salvação, de acordo com a profecia de que Jesus viria no futuro e estabeleceria Sião e ensinaria a lei da Nova Aliança.

As pessoas que receberam Deus e as que o rejeitaram

Os apóstolos da igreja primitiva perceberam que Jeová, o rei de Sião, que tinha sido profetizado no Antigo Testamento, havia vindo como Jesus.

“[…] Pois está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado. Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular e: Pedra de tropeço e rocha de ofensa. […]” ​1Pe. 2:4-8

“Uma pedra angular e preciosa em Sião” se refere a Jeová. Quando Jeová veio em carne a esta terra como o rei de Sião, ele era a pedra preciosa para aqueles que o receberam; mas para os que não creram nele, se tornou pedra de tropeço, laço e armadilha.

“Ao SENHOR dos Exércitos, a ele santificai; seja ele o vosso temor, seja ele o vosso espanto. Ele vos será santuário; mas será pedra de tropeço e rocha de ofensa às duas casas de Israel, laço e armadilha aos moradores de Jerusalém. Muitos dentre eles tropeçarão e cairão, serão quebrantados, enlaçados e presos.” Is. 8:13-15

Foi claramente escrito na Bíblia sobre Jesus, mas os líderes religiosos daquela época não quiseram vir a Jesus, que era Deus. Ao ver Jesus em carne, eles o perseguiram e lhe disseram: “Como um simples homem pode ser Deus?” Eles não perceberam que Jesus, a quem perseguiam, era Deus, o rei de Sião, que eles temiam e esperavam por tanto tempo.

Eles poderiam ter recebido a vida eterna se tivessem conhecido Jesus e tivessem participado da lei da Nova Aliança que ele ensinou, mas foram capturados pelo pensamento humano: “Deus nunca pode vir como um ser humano” (Ref. Jo. 10:30-33).

Jesus disse o seguinte para os judeus que o censuravam:

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida.” Jo. 5:39-40

Os escribas e os mestres da lei daquela época sabiam que a vida eterna escrita na Bíblia (Antigo Testamento) era a bênção que seria concedida em Sião. No entanto, eles não compreenderam que podiam alcançar a vida eterna ao receber Deus que veio em carne aceitando os seus ensinamentos.

Deus, a quem todos os profetas do Antigo Testamento tinham testificado e desejado, era Deus Jeová que daria a salvação em Sião. Mas como Jeová veio a esta terra no humilde corpo humano, não puderam reconhecê-lo.

A vida eterna só pertence a Deus. Somente Deus pode perdoar os pecados. Se Jesus não fosse Deus Jeová, não poderia nos dar a salvação nem a vida eterna.

Cristo em sua segunda vinda restabeleceria Sião

O profeta Isaías viu Sião, a cidade das festas solenes, através de uma revelação. Está escrito que Deus Jeová mesmo viria em carne no futuro e estabeleceria Sião e se tornaria o rei de Sião. E Deus vindo no nome de Jesus, estabeleceu a igreja na qual as festas da Nova Aliança eram guardadas e guiou o seu povo à salvação. Portanto, Deus em Sião era Cristo que veio à terra em carne. Os santos da igreja primitiva e os apóstolos acreditavam que Jesus, que estabeleceu Sião, era Deus Jeová mesmo.

Depois que Jesus, o rei de Sião, estabeleceu as festas solenes da Nova Aliança e ascendeu, os apóstolos pregaram o evangelho da Nova Aliança para muitas pessoas. No entanto, desde o final da época apostólica, o poder da iniquidade começou a entrar na igreja. Assim, o apóstolo Paulo escreveu como segue:

“[…] Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição, o qual se opõe […] Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém; […]” ​2Ts. 2:1-12

Depois de todos os apóstolos morrerem, o poder da iniquidade se infiltrou na igreja e removeu todos os estatutos e decretos da Nova Aliança que Deus mesmo estabeleceu, e logo encheu a igreja de iniquidade. A lei de Sião, o evangelho da Nova Aliança que Deus mesmo estabeleceu vindo em carne, desapareceu da terra. Sião foi destruída.

Quando o apóstolo João teve a revelação na ilha de Patmos, viu o que aconteceria com a Igreja de Deus estabelecida por Cristo. Ele chorou muito ao ver os sofrimentos dos santos e as leis de Sião ser destruídas. Isso porque ninguém poderia receber a salvação sem a restauração da lei de Sião. No entanto, ele também viu que a Sião destruída seria estabelecida novamente pela raiz de Davi.

“[…] Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos.” Ap. 5:5

Depois de um momento, João viu uma revelação surpreendente. Ele viu que Sião seria estabelecida novamente.

“Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito o seu nome e o nome de seu Pai.” Ap. 14:1

Não apenas dois mil anos atrás, mas também nesta época, Deus se tornou o rei de Sião, vindo novamente a esta terra em carne, restabelecendo Sião e estabelecendo a Nova Aliança. Aqueles que desejam receber a salvação devem encontrar Deus, que habita em Sião em corpo. Eles também podem receber completamente a salvação somente ao receber o perdão dos pecados através da lei da Nova Aliança estabelecida em Sião.

Há dois mil anos, quando Deus veio a esta terra em corpo como o rei de Sião, ele se tornou a pedra preciosa para os que o receberam; mas para os que não creram nele, foi um laço e uma armadilha. Não devemos esquecer-nos dos erros dos que não conseguiram receber a salvação, sendo capturados pelo pensamento humano e a ideia fixa: “Deus não pode vir como um ser humano”. E devemos receber a salvação encontrando o rei de Sião que restabeleceu Sião nesta época e nos dá a vida eterna.