WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Para Guiar Uma Alma

Maria Cuchillo Gutierrez, de Lima, Peru

344 Visualizações

Antes de encontrar a verdade, tive muitas intenções de crer em Deus, contudo, me frustrava no caminho e pensava:

“Creio que o caminho da fé não é para mim. É possível me encontrar com Deus só depois da morte?”.

Esse pensamento vinha sempre à minha mente e me questionava dia após dia: “O que acontecerá comigo quando eu deixar este mundo? Aonde irei?”. Concentrava-me nos meus estudos com toda a minha paixão, tempo e dedicação, e me consolava pensando que esse era o caminho que deveria percorrer, mas não me sentia completa, nem feliz. Quando planejava o futuro da minha vida, me dava conta de que todas as coisas deste mundo eram vãs. Queria encontrar algo que me permitiria alcançar a felicidade.

Um dia, caminhei sem rumo, já que teria de esperar três horas para a minha aula seguinte. Enquanto caminhava, vi várias pessoas que estavam pregando. Uma delas veio até mim e me anunciou a existência de Deus Mãe. Eu mostrava desinteresse no começo, mas ao ver quão evidentes eram as palavras da Bíblia e como os versículos se uniam, fiquei emocionada. Depois de esquadrinhar as palavras durante duas horas, recebi a bênção de uma nova vida. Não compreendia o que havia acontecido comigo, mas estava muito feliz e lhes disse: “Sinto que foi dado um sentido à minha vida”.

Desde esse dia, iniciei uma nova etapa na minha vida. Depois de compreender o Pai e a Mãe celestiais, comecei a pregar o evangelho. Mas as pessoas não entendiam as palavras apesar de estarem evidentemente escritas na Bíblia e minhas amigas zombavam de mim. Quando isso ocorreu em varias ocasiões, me chateei. Comentei com a irmã que havia me guiado sobre essa situação que me incomodava e ela me disse: “Para guiar uma alma, são necessárias lágrimas, suor e sacrifício”. Ela afirmou que havia estado muito ansiosa por não ter podido dar um fruto do evangelho durante um longo tempo e que nesse momento ela me encontrou. Suas palavras me comoveram muito, mas não compreendia que o milagre do evangelho se realiza pelo poder de Deus.

Em Sião eu era uma filha mimada. Recebia muito amor e ajuda dos membros de Sião. Minha fé crescia ao realizar a obra do evangelho com fervor, mas me preocupava porque não podia ganhar um fruto rapidamente. As almas que foram guiadas com dificuldade não conseguiram permanecer em Sião.

Depois de um tempo, se estabeleceu uma Sião perto da minha casa. Estava muito agradecida ao Pai e à Mãe por nos permitirem a bênção de ser pioneiros em uma nova Sião e preguei fortemente as palavras com os membros de Sião com um coração emocionado. Apesar de todos os nossos esforços e dedicação, não havia um bom resultado. Nós nos animávamos, dizendo: “O Pai e a Mãe estão nos preparando uma grande bênção, assim tenhamos paciência e perseveremos até o final”. Passaram-se os meses, mas ainda não havia almas guiadas para a salvação.

Nas situações difíceis, chegamos a compreender pouco a pouco o sacrifício do Pai e da Mãe e sentimos que nos faltava algo muito importante. Era o amor. Acreditávamos que guardar os mandamentos de Deus e pregar a verdade era o suficiente, contudo, estávamos omitindo o mais essencial para o evangelho. Nos demos conta de que não devemos pregar a verdade só com a vontade de ganhar um fruto, senão com o ansioso coração da Mãe para salvar uma alma.

Depois, pregamos esperando ansiosamente que as pessoas que nunca havia escutado o evangelho antes, escutassem as palavras da verdade e fossem prontamente salvas. Também continuava nossa oração para encontrar uma alma bela que buscava a Deus.

Entretanto, em um parque próximo de Sião, nos encontramos com uma pessoa que sentia muita preocupação pela sua alma e que buscava a Deus. Ela se impactou ao confirmar que as profecias da Bíblia estavam se cumprindo maravilhosamente e marcamos de nos reencontrar no Dia de Repouso para continuar estudando.

Chegou o Dia de Repouso e vieram a Sião duas almas que havia estudado durante vários meses e receberam uma nova vida. Estávamos indescritivelmente felizes e não podíamos crer ao ver os membros da família celestial que encontramos depois de tanto tempo de paciência. Logo chegou a hora do encontro e fomos ao parque e lá estava esperando a pessoa que havíamos conhecido há alguns dias. Ela veio à Igreja conosco e rendeu culto, e depois de estudar a Bíblia se tornou filha do Pai e da Mãe celestiais com um coração agradecido. Não posso esquecer esse dia em que Deus nos permitiu três bonitas almas como frutos ao mesmo tempo. Nesse dia compreendi que guiar uma alma para a salvação é a verdadeira felicidade.

A irmã que conhecemos no parque compreendeu rapidamente o amor e sacrifício de Deus e se esforçou para participar do festival de pregação. Ela estudou as palavras constantemente e deixando o temor, começou a praticar as palavras da verdade com valentia. Ainda teve perseguições momentâneas por parte de seus pais que se opuseram a sua fé que crescia cada vez mais nela, e assim suportou as aflições com alegria.

No dia em que a irmã saiu para pregar pela primeira vez, nos encontramos com um casal. Quando mostramos a eles as palavras da Bíblia sobre Deus Mãe, ambos ficaram muito assombrados.

“Realmente existe Deus Mãe!”.

Ao ver a irmã falar com uma voz cheia de confiança, eu também me emocionei. Logo ao saberem que o Espírito e a Noiva são os Salvadores desta época e que a Páscoa nos dá a vida eterna, ambos com alegria aceitaram participar imediatamente da bênção da salvação e estão guardando o Dia de Repouso e estudando as palavras. Desejo com todo o meu coração que os irmãos que têm recebido uma nova vida na vontade de Deus, cresçam com uma fé bonita e compreendam o imenso amor do Pai e da Mãe.

Agora entendo com o coração a palavra de que para guiar uma alma são necessárias muitas lágrimas, suor e sacrifício. Também compreendo que devo confiar plenamente no poder de Deus em lugar de minha habilidade, e que devo buscar meus irmãos com o coração ansioso da Mãe a fim de salvá-los da cadeia da morte. Continuarei pregando o evangelho com todo o meu coração para que no dia em que o Pai vier, possamos dizer: “Cumprimos a nossa missão de pregar a sete bilhões de pessoas!”.