WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Aproximando-Se de Deus

Lee Pyung-hwa, de Seul, Coreia

473 Visualizações

Quando estava no sétimo ano do ensino fundamental, aprendi profundamente sobre a Bíblia em Sião. Na verdade, eu comecei a ir para a Igreja com a minha família quando eu era criança, mas aquele momento foi a primeira vez em que eu estudei seriamente as palavras de Deus.

Sempre tive orgulho de mim, pensando que eu sabia sobre a Bíblia até certo grau mesmo que eu fosse novo. Contudo, as profecias da Bíblia e seu cumprimento que eu confirmei naquele dia me fizeram sentir como se eu nunca tivesse experimentado a Bíblia antes; a Bíblia estava cheia de testemunhos que eu não podia negar, e Deus verdadeiramente existia.

Eu estava tão feliz de poder crer completamente em Deus e na Bíblia que eu escrevi uma carta de agradecimento a Deus: “Obrigado, Deus! Eu compreendi muitas coisas hoje. De agora em diante, por favor, me permita te seguir em todo o tempo”.

Desde então, eu criei o hábito de orar para Deus. A oração que eu oferecia para Deus no final de cada dia era como uma carta para Deus, e também era um diário para refletir e me arrepender. Eu podia livremente me abrir com Deus mesmo nas agonias que eu não conseguia compartilhar com meus amigos e meus pais. Eu senti que Deus, que parecia estar longe, se aproximou de mim.

Um dia, convidei meus amigos, que tinham uma má compreensão sobre a nossa Igreja, para uma visita. Nesse dia também, eu ansiosamente orei para Deus para que eles pudessem resolver a sua má compreensão e receber a verdade. Deus respondeu a minha oração alguns dias depois. Dois amigos meus, que visitaram a nossa Igreja, explicaram para outros colegas de classe o que tinham ouvido na Igreja. Graças a eles, meus outros amigos disseram: “Vou visitar a sua Igreja um dia”. Eles vieram e confirmaram que a Igreja de Deus é a verdadeira igreja que segue os ensinamentos da Bíblia. Um deles compreendeu a verdade e recebeu uma nova vida. Eu estava muito grato a Deus.

Continuei caminhando com Deus através da oração mesmo depois de eu ter me tornado um jovem. Eu tinha o sonho de me tornar um profeta do evangelho, e a oportunidade de estar perto de Deus e expandir os horizontes da minha fé foi dada a mim. Foi uma missão de curto prazo para as Filipinas.

Cheguei às Filipinas com os membros com quem dividia o mesmo objetivo e tinha grandes expectativas. Quando cheguei à Cidade Quezon, um grande calor esperava por mim. A luz do sol estava forte; se eu não usasse um guarda-chuva, era difícil de andar e de até mesmo abrir os olhos. Foi tolerável por alguns dias, mas depois de duas semanas, minha força física estava drenada e eu apenas suportei dia após dia com a minha força mental.

Contudo, a paixão dos membros locais era mais ardente que o calor. Alguns membros trabalhavam a noite, mas eles pregavam depois de ter um curto descanso. Alguns membros andavam por mais de uma hora debaixo da luz do sol escaldante para cuidar de seus irmãos e irmãs. A sua fé era mais quente que um forno de fusão. Olhando para eles, me senti como um sapo em um poço, eu não pude aguentar o calor nem por um momento! Quando pensei em quantos membros estariam cheios de fé ao redor do mundo, fiquei espiritualmente em alerta, e não pude deixar de orar a Deus.

Olhando para os membros, eu recobrei as minhas forças e orei com ansiedade; existia a barreira do idioma e meu corpo não conseguia manter o ritmo, então o único em quem podia confiar era Deus.

A alegria de dar fruto depois de atravessar dificuldades e ansiedade foi realmente grande. Eu experimentei o momento mais feliz da minha vida quando testemunhei muitas pessoas, que estavam vagando sem conhecer a verdade, se arrependerem como pequenos cordeiros e serem guiadas aos braços de Deus.

Depois de terminar a missão de curto prazo de um mês nas Filipinas, voltei para a Coreia e fiz um plano para outra missão de curto prazo. Enquanto estava nas Filipinas, o meu desejo de se tornar um profeta ficou mais forte, e por causa disso, eu quis ter mais experiências.

Meu segundo destino foi San José, que ficava a seis horas de distância da Cidade Quezon. Ali também, os membros da família celestial, que eram como joias preciosas, esperavam com ansiedade escutar as notícias da salvação.

Foi quando eu entreguei as palavras de Deus para um estudante na universidade. O irmão deste estudante veio para lhe entregar algo e eu senti vontade de pregar para ele. Eu expliquei os mandamentos de Deus e os mandamentos dos homens através da Bíblia. Ele ficou surpreso e quis aprender mais a Bíblia. Alguns dias depois, ele foi abençoado com uma nova vida.

Como os novos membros aumentaram um atrás do outro, eles constantemente me vinham à mente até mesmo quando eu estava comendo ou prestes a dormir. Havia muitas palavras da Bíblia que eu queria que eles soubessem, mas por conta da barreira do idioma, eu não podia lhes dizer por completo. Isso me deixou ansioso e comecei a me preocupar de que eles provavelmente não iriam compreender bem a verdade. E quando eu os via nos dias de sábado, ficava emocionado e alegre. Senti profundamente o quão preciosa é uma alma.

Ao voltar para a Coreia depois de seis meses de pregação nas Filipinas, eu refleti sobre a razão pela qual o resultado do evangelho nas Filipinas terminou melhor do que na Coreia, apesar da barreira de idioma, diferença cultural e o ambiente mais desfavorável.

Eu simplesmente pensei que era porque estive no exterior, e que havia mais pessoas que acreditavam em Deus nas Filipinas. Contudo, essa não era a resposta. A razão era porque a minha mentalidade na Coreia era diferente da mentalidade nas Filipinas. Nas Filipinas, desde o horário em que eu acordava pela manhã até quando eu ia dormir à noite, meu dia era cheio de coisas espirituais. Até a minha partida, estudei a Bíblia para despertar mais uma alma e coloquei toda a minha força em cuidar dos membros da família celestial.

Eu não fazia o mesmo na Coreia. Desperdicei o meu tempo de maneira insignificante pensando que podia pregar no momento que quisesse. Ainda que meu sonho fosse ser um profeta, vivia ociosamente; fiquei tão envergonhado.

Se eu me dedicar ao evangelho sem desperdiçar tempo, assim como fiz nas Filipinas, poderei dar muitos bons frutos, seja no exterior ou na Coreia. Com uma nova determinação, preparei o caminho para ser um profeta e me concentrei no evangelho. Enquanto eu fazia isso, Deus me permitiu guiar um irmão para Sião. Enquanto ele estava andando na rua, o irmão ouviu as palavras da verdade e continuou a estudar vindo à Igreja todos os dias. Embora ele tenha se mudado para longe logo após receber a verdade, ele guarda todos os cultos sem perder nenhum. Não posso esquecer o que ele me disse: “Eu sou grato a Deus por ter te encontrado sob a graça de Deus e por ter a esperança do céu”.

Agora estou me preparando para me juntar ao exército. Através da vida militar, minha fé se aprofundará e se ampliará, assim como na minha viagem missionária ao exterior. Esforçando-me para ser fiel à minha vida militar, farei todos os esforços para não ficar longe de Deus, orando continuamente e estudando com diligência as palavras de Deus. Eu revelarei a glória de Deus com boas ações, não negligenciando em encontrar os membros perdidos da família celestial.

Eu acredito que quando faço a vontade de Deus, confiando nele, posso realizar meu objetivo mesmo em situações e ambientes difíceis. Assim como Deus permitiu que eu crescesse através de muitos processos por um longo tempo, serei um profeta que cumpre fielmente a missão no exército e nos lugares da evangelização mundial no futuro.