WATV.org is provided in English. Would you like to change to English?

Soldados do evangelho

39 Views
FacebookTwitterEmailLineKakaoSMS

A Bíblia registra muitas guerras, que mostram que a vitória ou a derrota depende de Deus; o povo ganhava quando Deus estava com ele, e perdia quando Deus não estava com ele. Isto nos diz que tipo de atitude devemos ter em uma guerra espiritual.

Deus nos tem chamado para sermos soldados do evangelho. Agora, pensemos sobre a atitude mental e a preparação que se requerem para sermos soldados do evangelho, para que possamos nos armar como soldados competentes de Deus.

O critério de Deus para selecionar soldados

A história de Gideão nos mostra como Deus seleciona seus soldados. Deus chamou Gideão para libertar Israel da opressão dos midianitas, e convocou soldados. Nesse momento, 32 mil homens se reuniram para a batalha, mas só 300 soldados foram selecionados.

『Disse o SENHOR a Gideão: É demais o povo que está contigo, para eu entregar os midianitas nas suas mãos; Israel poderia se gloriar contra mim, dizendo: A minha própria mão me livrou. Apregoa, pois, aos ouvidos do povo, dizendo: Quem for tímido e medroso, volte e retire-se da região montanhosa de Gileade. Então, voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram. Disse mais o SENHOR a Gideão: Ainda há povo demais; faze-os descer às águas, e ali tos provarei … Foi o número dos que lamberam, levando a mão à boca, trezentos homens; e todo o restante do povo se abaixou de joelhos a beber a água. Então, disse o SENHOR a Gideão: Com estes trezentos homens que lamberam a água eu vos livrarei, e entregarei os midianitas nas tuas mãos; pelo que a outra gente toda que se retire, cada um para o seu lugar.』 Jz. 7:1-8

Nesse momento, os midianitas que acamparam contra Israel eram 135 mil soldados (Jz. 8:10). Eles eram tão numerosos como enxames de gafanhotos, e também os seus camelos, inumeráveis como a areia que está na beira do mar (Jz. 7:12). Por isso, de verdade, trinta e dois mil soldados não seriam suficientes para enfrentá-los.

Mas, Deus enviou de volta 22 mil homens que tremiam de medo, com o fim de que Israel não se gloriasse dizendo que com suas próprias forças haviam-se salvado. Através desta situação que parecia impossível para que os homens ganhassem vitória, Deus quis fazê-los compreender que a vitória depende do poder de Deus, e não da estratégia ou da coragem dos homens.

Tanto os que se gloriavam de si mesmos dizendo: “Fiz assim com as minhas próprias forças”, como os que temiam e se estremeciam, não mereciam ser os escolhidos de Deus. Todos eles eram os que não tinham fé em Deus. Eles não eram qualificados para ser os soldados de Deus porque não dependiam de Deus que orienta e administra toda história, e também porque consideravam suas habilidades antes do poder de Deus.

Quando ficaram somente 10 mil homens, Deus os provou dizendo: “Ainda é muito o povo”. Deus selecionou só 300 homens que não dobraram os joelhos para beber a água.

Quando Deus selecionou os seus soldados, primeiro viu a sua atitude mental, e logo a sua postura. Os que se gloriavam por si sós, os que se estremeciam de medo, e os que iriam se dobrar em seus joelhos mais tarde, todos foram enviados de volta para casa. Deus selecionou somente 300 homens que não iriam se ajoelhar até o fim e com eles libertou Israel das mãos de Midiã.

A vitória já estava ganha, porque Deus estava com eles. Os 300 soldados só tocaram as trombetas tomando as tochas como Deus lhes havia dito. Os inimigos se destruíram a si mesmos, pondo a espada cada um em seus companheiros (Jz. 7:9-22).

A aflição e a vitória predestinadas para os soldados do evangelho

Considerando o critério de Deus para selecionar os guerreiros de Gideão, podemos ver quais requerimentos devemos ter para sermos soldados do evangelho que agradam a Deus. O que Deus quer de seus soldados, não é destreza e conhecimentos militares, e sim uma fé firme só em Deus, que lhe dá a glória, e a atitude de não nos rendermos em nenhuma circunstância.

Assim também Deus nos chamou. Somos os soldados do evangelho que seguem Cristo pela fé. Os que estão ativamente envolvidos na pregação, quer estejam na linha de frente, quer sejam cooperadores por trás (os que participam do evangelho por meio dos serviços e das orações etc), e todos os que trabalham no evangelho com o desejo de fazê-lo avançar, são os soldados do evangelho.

『Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele.』 Ap. 17:14

Os seguidores de Deus, que são os chamados, eleitos e fieis, são soldados do evangelho, e a sua vitória está garantida, porém enquanto eles pelejam, pode haver sofrimentos e dificuldades para eles. Mas, se eles vencerem estes sofrimentos e dificuldades, receberão a coroa da justiça, como fiéis soldados do evangelho.

『Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou. Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas.』 2Tm. 2:3-9

『Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige … Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério … Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia …』 2Tm. 4:2-8

Um bom soldado de Cristo sofre junto com ele, não abandona o evangelho, mesmo enredando para a labuta da vida diária, e nunca se rende sob nenhuma circunstância. Ele vence todas as dificuldades, pensando sobre como vencer a batalha espiritual e dar mais glória a Deus, que o tem chamado como seu soldado.

Nós, como bons soldados de Cristo, temos que suportar as adversidades e sofrimentos. É essencial para os soldados do evangelho terem a atitude de não render-se e a fé firme diante das tribulações.

Uma grande batalha espiritual

Agora estamos numa batalha espiritual contra as forças de Satanás. A Bíblia mostra Satanás cheio de ira fazendo guerra contra os santos, como o apóstolo João escreveu.

『Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.』 Ap. 12:17

『Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.』 Ef. 6:10-12

Os soldados do evangelho chamados por Deus, estão participando da grande batalha espiritual que começou no céu e terminará na terra. A Bíblia profetiza que Satanás reinará sobre os povos tão inúmeros como a areia do mar, e fará guerra contra os santos que obedecem aos mandamentos de Deus e guardam sua fé nele. Eles nos superam em número amplamente. Mas, nada pode impedir que Deus nos salve, sejamos poucos ou muitos.

Davi venceu Golias quando todos os soldados de Israel temiam e se estremeciam, porque ele foi pelejar dependendo inteiramente de Deus Jeová dos exércitos (1Sm. 17:45). Deus quer guerreiros valentes com essa fé firme.

Os 300 guerreiros de Gideão não se abalaram nem um pouco diante dos inimigos, que eram como enxames de gafanhotos. Eles acreditavam firmemente que Deus estava com eles, e não se rendiam em nenhuma circunstância. Assim como eles, temos que confiar completamente em Deus e dar glória só a Ele, permanecendo firmes e sem render-nos diante dos nossos inimigos em nenhuma circunstância.

『Deus não rejeitou o seu povo, a quem de antemão conheceu. Ou não sabeis o que a Escritura refere a respeito de Elias, como insta perante Deus contra Israel, dizendo: Senhor, mataram os teus profetas, arrasaram os teus altares, e só eu fiquei, e procuram tirar-me a vida. Que lhe disse, porém, a resposta divina? Reservei para mim sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal. Assim, pois, também agora, no tempo de hoje, sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça.』 Rm. 11:2-5

O povo remanescente de Deus, escolhido pela graça, são os que não têm dobrado o joelho diante de Baal. Não devemos comprometer-nos covardemente com o mundo, nem render-nos em qualquer circunstância, e sim vencer tudo com fé. Como guerreiros de Deus, devemos fazer o que agrada a Deus, olhando somente para Ele até o final.

Tomai toda a armadura de Deus

Os nossos inimigos são Satanás e os espíritos iníquos debaixo do seu controle. Para resistir aos nossos inimigos invisíveis, devemos estar sempre sóbrios e vigiar espiritualmente.

『Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo.』 1Pe. 5:8-9

Para ganhar a vitória, assim como um provérbio diz: “Conheces teu inimigo e conhece-te a ti mesmo; se tiveres cem combates a travar, cem vezes serás vitorioso”, sempre temos que vigiar e olhar os movimentos do diabo, examinando-nos a nós mesmos. Para isso, precisamos primeiro verificar se estamos armados como soldados do evangelho.

Nenhum soldado vai à guerra sem sua armadura ou suas armas. Os soldados vão à guerra vestindo uma armadura de corpo inteiro, desde a cabeça até os pés. Deus tem mandado os soldados do evangelho tomar toda a armadura de Deus.

『Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança …』 Ef. 6:13-20

A Bíblia nos diz que cinjamos nosso lombo com a verdade, que nos vistamos da couraça da justiça, e que calcemos os pés com a preparação do evangelho da paz. E também nos diz que tomemos o capacete da salvação, e que usemos o escudo da fé e a espada do Espírito, a qual é a palavra de Deus.

Como soldados espirituais, devemos armar-nos com todas essas coisas. Entre elas, a espada da palavra é uma arma para atacar os inimigos, enquanto as demais são equipamentos de defesa para a segurança da nossa própria alma. Podemos defender-nos contra os dardos de fogo do diabo ao usar o escudo da fé, e derrotá-lo por empunhar a afiada espada da palavra.

A Nova Aliança, a espada da palavra da vida

Se não usamos constantemente a espada da palavra, poderemos ser fatalmente feridos pelos malvados dardos de fogo do diabo, que tem o poder da morte e do inferno. Ele é o assassino das nossas almas, ele está tentando destruir tantas almas quanto seja possível, usando todo tipo de ciladas e mentiras, que são suas principais armas. Há um antigo provérbio que diz: “O ataque é a melhor defesa”. Para resistir e vencer o diabo, primeiro devemos usar a espada da palavra como arma de ataque.

A palavra de Deus é viva e eficaz, e é uma arma realmente poderosa, mais cortante do que toda a espada de dois fios, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas (Hb. 4:12). A vitória pode ser nossa se empunharmos a espada da palavra. Deus veio a esta terra para nos dar a espada da palavra da vida, que tem o poder de destruir o pecado e a morte.

『Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue é verdadeira bebida.』 Jo. 6:53-55

Nossa missão como soldados do evangelho é salvar as almas das pessoas permitindo-lhes comer a carne de Jesus e beber o seu sangue. Quando tomamos a espada da palavra dada por Deus, o diabo se retira e as almas cativas por ele passam a ser libertadas e vêm à vida. Quanto mais pregamos a Nova Aliança da vida, mais se enfraquece o poder do diabo. Todos os povos agora estão entrando no caminho da vida eterna. Essa é uma prova de que a destruição do poder de Satanás se aproxima.

A coroa da vida é dada ao que vence

Devemos ir a todos os povos do mundo e pregar-lhes a verdade da vida para guiá-los ao caminho da vida, fazendo com que eles compreendam a verdade. Quando pregamos o evangelho, não devemos ter medo e nem confiar em nossas próprias forças e sabedoria. A salvação é somente a graça e a dádiva de Deus (Ef. 2:8-9). Assim como os guerreiros de Gideão ganharam a batalha obedecendo ao que Deus mandou, também nós podemos ganhar a batalha espiritual quando confiamos no poder de Deus que nos ajuda.

A salvação de uma alma é um fruto a ser obtido pela vitória de uma grande batalha espiritual. Portanto, primeiro devemos pedir a Deus, e logo usar a sabedoria e o conhecimento que Deus nos tem dado, junto com amor e sacrifício. Por isso, o apóstolo Paulo compara a dor que sofremos ao salvar uma alma, com a dor do parto.

O diabo difama a verdade, usando todo tipo de mentiras e instrumentos iníquos e vilões, para nos vencer na batalha espiritual. Quanto mais obstáculos o diabo cria para afastar as pessoas da voz de Deus, mais fortes devemos gritar para que nossos irmãos e irmãs perdidos voltem aos braços do nosso Pai e da nossa Mãe celestiais, ouvindo a nossa voz gritada! Quando tiramos o véu de Satanás, que cega as almas das pessoas, e as guiamos à palavra da vida, nós, como soldados do evangelho, poderemos ser vencedores.

Deus prometeu a coroa da vida aos que vencem todas as tentações e obstáculos de Satanás, apoiando-se completamente em Deus sob qualquer circunstância, e avançando para o reino dos céus.

Tendo a mesma fé como os guerreiros de Gideão, confiemos somente em nosso Pai e nossa Mãe, e avancemos até a meta sem render-nos diante do mundo. O trabalho é pouco, mas a recompensa é infinita. Nunca abandonemos a esperança no céu. Como soldados do evangelho, vençamos confiando em nosso Pai e nossa Mãe celestiais e demos-lhes glória sempre.

FacebookTwitterEmailLineKakaoSMS